segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O louco o esperto

 Louco ou esperto, Ifá explica.




Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola

Quando comecei a escrever em meu blog e resolvi criar  uma comunidade,eu sabia das dificuldades que encontraria ,imaginava encontrar opositores  sacerdotes que  têm uma formação diferente da minha,isso tudo seria natural porque sabemos que existem algumas questões que automaticamente geram polêmicas.

Nunca imaginei que teria a dolorosa missão de contrariar inúmeros amigos que acreditam na mesma religião que eu acredito.

Estou entre a cruz e a espada como se diz, de um lado o público leigo e os praticantes que buscam informação,e do outro alguns sacerdotes que ainda nos dias de hoje acreditam na sincrética versão de nossa religião,é inacreditável mas ainda existe gente que leva os iniciados para assistir a missa católica.

Como se isso não bastasse,entre tantas coisas erradas ,tem o grupo que olha a data de nascimento para ver o odu no momento da consulta ao jogo de búzios, então diante de tantos equívocos resolvi compartilhar mais informação para os meus leitores.

Imagine se poderia existir  em território yoruba ,no meio da África , a mais de mil anos um cartório com dados e expedindo certidões de nascimento para os iniciados terem como base uma data para que seja feita a consulta a Ifa?

Existe um grupo de pessoas que acredita que a  numerologia tem  ligação com os odus .
Entre tantas coisas essa semana fui questionado sobre o orisa conhecido no Brasil como Iroko. Essa bela àrvore serve de morada para alguns orisas,mas, que não existe nenhum orisa com esse nome, isso eu posso garantir.

Seria aceitável se algumas pessoas leigas questionassem tais fatos ,mas vejo pessoas com dezenas de anos de iniciado fazendo tais colocações.

Aqueles que acreditam  saber de tudo um pouco,ainda afirmam que existe o odu de placenta,o odu da casa e o odu de nascimento,é tanta besteira junto, que  se torna impossível ficar quieto.

A questão do odu,para aqueles que ainda não sabem, vamos esclarecer."Se você  nascer  em território Yoruba e passar por alguns rituais,durante o período, logo após o seu nascimento, você  terá  um odu, que vai servir como referência para sua criação, e educação,ou se nascer em um outro país e passar por tais rituais ministrados por pessoas capacitadas."

  Existe também uma segunda hipótese, quando você é iniciado em Ifa,e passa por vários rituais, para então saber seu  odu .

Atualmente existe uma farta literatura sobre odu e o número de livros é muito grande, alguns que até confundem o nome dos odus,assim como outros que acreditam que Obara meji, é o odu mais rico que existe.

É tanta criatividade que eu  não sei se o individuo  é um louco, ou esperto,mas não resta  a menor dúvida de que ele é desinformado.

Outro dia encontrei um Babalorisa  na rua que me falou “que para assentar Oloogun Ede é necessário ter um peixe que a pessoa tenha pescado” é muito difícil escutar  tantas coisas  e ficar quieto.

Eu gostaria  muito que tais temas não necessitassem ser abordados,mas, isso se faz necessário, acredito muito na força transformadora do orisa, sei que não estou sozinho em minha caminhada,conheço pessoas que lutam contra tais aberrações, há muitos anos,e me identifico  com elas.

Há muitos anos atrás estivemos reunidos em Brasília com o ministro da cultura e com o ministro da justiça, juntamente com o presidente da fundação palmares, buscando uma solução para tais acontecimentos .Na ocasião fui convidado pelo ministro da justiça da época sua excelência  Mauricio Correa, para um churrasco em sua residência, e deixei bem claro o meu descontentamento, em uma conversa privada que tivemos, quando ele em bom tom me disse,"a culpa é de vocês mesmos, que não têm uma liderança forte no pais e representantes com condições de elaborar um sistema de forma a punir tais elementos,despreparados,que fazem parte do meio."

Hoje começo  a acreditar que ele tinha razão,chegou o momento de colocar tais pessoas despreparadas,em seus devidos lugares,porque,os sacerdotes de outras religiões conseguem o respeito das autoridades e da opinião pública, e nós não temos os mesmos privilégios.

Sempre  nossa religião é mencionada na mídia ou é de forma pejorativa ou em alusão ao treze de maio.

Cansei disso,faz tempo,que  busco outra saída  mais adequada,a cultura ,o conhecimento, e o alinhamento com as raízes religiosas,pois quem não está preparado que não se estabeleça,não é justo que os bons paguem pelos despreparados.

9 Comentários:

Às 1 de fevereiro de 2011 01:44 , Anonymous Ilê Asé Obá Afonjá disse...

Bom dia!
Infelizmente hj em dia somos cercados por pessoas,zeladores etc que se acham acima do bem e do mal...Essa do logun foi cruel...kkk eu conheco uma parecida...a pessoa tem q pescar e engolir o peixinho vivo..e ele nao pode morrer!!!????????? Mas sei que a revolução de ifá está p ocorrer,so ficarão os verdadeiros,os enganadores e mistificadores sucumbiram....Chega disso,muitos se acham acima de orisá,acima de Deus....
Abraços

 
Às 1 de fevereiro de 2011 02:31 , Anonymous ***CASA DO OGUM*** disse...

olha meu pai eu concordo com algumas coisas nesta matéria e outra não posso nem concordar pois fico sem saber o que é certo ou errado!
como o assunto de odú;eu sempre ouvi de vários babalaorixás sobre o odú obará a mesma coisa,e assim por diante a mesma coisa.então fico a me perguntar quando saberei a verdadeira VERDADE sobre orixas,odús e tudo que se refere a nossa religião?
a cada dia que passa as coisas estão ficando mais dificeis e me sinto com sede de aprender e saber fazer o certo e vejo que estou em uma floresta totalmente desconhecida e perdido...
deixo bem claro meu pai que em momento algum discordo das tuas palavras ou sabedoria,não!!!
acredito sim! em tudo o que falou...
e que ogum lhe abençõe e possa te dar mais sabedoria e caminhos para abrir os olhos dos leigos e dos que se sentem sabios.
ogum didê
axé

 
Às 1 de fevereiro de 2011 07:55 , Anonymous Gilmar Ofun Oyeku disse...

Aboru aboye abosise
OGBÈ é a manifestação de pura luz. É a expansão da luz proveniente de uma fonte externa. Em termos práticos é o movimento sem oposição ou um caminho aberto. Ogbè como expressão de crescimento espiritual, representa um alinhamento perfeito com o destino.

Transcrito por Awo Ifákoya, segundo os ensinamentos recebidos do Balogun Awolalu Onisegun Ifase de Ode Remo - Nigéria.

Esse sim é o odu mais importante (mais rico).
Ire,o

 
Às 1 de fevereiro de 2011 14:18 , Anonymous Anônimo disse...

gosto muito das sua explicacoes e informacoes mas o senhor a de convir que a maioria das pessoas que sabem um pouco da religiao acabam ficando soberbas cheias de vaidades e comecam a humilhar os que ainda nao sabem.infelismente na nossa religiao a vaidade sobe a cabeca das pessoas.ate parece que uns tem orixa e outros nao.parece que o orixa de fulano e melhor que o de ciclano etc... conheco pessoas que dizem saber muito sobre a verdadeira religiao dos orixas e quando pedimos ajudam a vaidade deles sobe a cabeca.

 
Às 1 de fevereiro de 2011 18:51 , Anonymous silvana disse...

Caro Babá, creio que neste mundo é totalmente impossível agradar à todos desde a antiguidade pois, como contam, até aquele que "veio" como filho de Deus foi sacrificado publicamente e pregado na cruz......nossa religião perdeu muito por conhecimentos que não foram repassados.... imagine como as leis são burladas de segundos à segundos...(existe LEI)...como uma religião que não possui estatutos(para si, e não por si) nem estabelece regras de condutas, nem pune seus "infratores" pode obter o devido respeito?...Somente com uma pessoa séria!Potanto eu lhe peço por mim e por todos os meus irmãos sedentos de conhecimentos "reais", não pare! Ignore! Continue pois o meu coração aqueçe com suas palavras e sinto que nem tudo está perdido.....Motumbá Babá!

 
Às 22 de fevereiro de 2011 16:38 , Anonymous Charles disse...

Adorei seus comentarios. Sou praticante do Jeje-mahi, aqui no RS, fui iniciado bem pequeno por tia avó que era do Vodum Azonçu. Há algum tempo fiz como o senhor, comeceia questionar muitas coisas e a falar e todos vieram com dez pedras na mão pra cima de mim (os praticantes do Batuque aqui no RS se acham mais que os zeladores do candomblé! pensam que sabem de tudo e ninguem pode questiona-los). Mas fico contente em ver que não sou o unico que coloco interrigações nas coisas. Axé meu amigo

 
Às 25 de fevereiro de 2011 08:46 , Anonymous Orisá Ifà disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

 
Às 2 de março de 2011 09:57 , Anonymous Bàbàláwo Ifágbaíyin disse...

Aboru aboye abosise
Agradeço a participação de todos.
Espero em breve manter contato,e responder todas as dúvidas.
Minha agenda no momento não está permitindo,mas na semana que vem estarei novamente postando no blog.
Ire,o

 
Às 21 de fevereiro de 2013 14:27 , Anonymous Ricardo Rosemberg disse...

As pessoas tem até vontade aprender, mais tudo que se falar sôbre a nossa religião estar muito cara! Num País o mundo, em que agente está vivendo crise mundialmente ninguém tem condiçãos.
Outra coisa será que naquele tempo existia tanta gasto ou tanta fartura como hoje, será que as coisa éra tão facio como hoje, que tudo se compra no mercado.
Mundo de antigamento não éra, como o de hoje! com certeza.
motumbá baba-mi.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial