quinta-feira, 30 de maio de 2013

O encontro com o Orisa





Autor: Iya Apetebi Ifakemi Agboola


Quando eu era criança, ouvia vozes, via espíritos e tudo isso me deixava assustada, mantinha segredo das minhas visões, por vergonha, sobre isso nada falava.

Fui com minha família na igreja católica, mas parecia que algo estava faltando.

Então, conheci a Umbanda, e descobri que tinha um guia de frente, ficava imaginando como e quem ele era.

A Umbanda é linda cheia de vida e amor caridade e luz, mas meu caminho só estava começando.

Com o passar do tempo fiquei sabendo que existia orisás, e a sua importância.
 Quando imaginava o meu Orisa, inexperiente, pensava sou de Yemonja, ela é linda mora no mar.

 Sou filha de Yemonja  a mulher linda que tem os cabelos lisos e negros, conforme tinha  conhecido nas lendas.

 O tempo passava e em minha mente a visão do meu Orisa se alterou, o conhecimento aumentava as informações se somavam e  também mudava a minha opinião, agora conversando com outras pessoas me via filha de Oya. A mulher guerreira que tem os filhos como sua grande paixão,  sentia que é assim o  meu orisá, assim eu pensava, assim eu acreditava, Orisa mãe capaz de fazer qualquer coisas pelos filhos.

Foi quando descobri que existia o pai e a mãe de cabeça, um segundo Orisa, Ogun, o guerreiro, vencedor de demanda, fiquei na dúvida seria  Sango, o rei, aquele que faz a justiça?

Imaginei, viajei no meu pensar, quantas lendas eu li, e em quantas delas me imaginei, guerreira, mulher mãe, Orisa.

 Sonhos coloridos, sonhei com o aroma das comidas baianas, e em cada sonho em uma ilusão  me coloquei servindo meu Orisa.

Fui deusa das cachoeiras, dos oceanos, dos raios, me vesti de armadura, fui valente fui Ogun, fui o rei, a própria voz do trovão, fui Oya apaixonada, que descobriu o rosto do senhor das palhas, Soponnan.

Em quanto lia as lendas, escutava as histórias, em minha mente a paixão pelo Orisa me aproximava mais dessa religião.

A curiosidade que foi despertada em mim, era agora de verdade  conhecer  o meu Orisa, os meus “pais de cabeça”, assim eu dizia.

Eu pensava que quem poderia me ajudar fosse um vidente, que olhando para mim ele conseguiria enxergar os meus Orisas, estava muito enganada.

O tempo passou e o conhecimento aumentou um pouco, descobri que eu não ia precisar andar o Brasil inteiro  em busca do tal vidente, tudo era mais simples que eu pensava.

 A necessidade me fez buscar novos conhecimentos, além da Umbanda.
Fui então consultar os Orisas.

Na casa de um sacerdote então, tudo  começa com a consulta ao jogo de búzios, é claro que vem a curiosidade louca de saber quem afinal são os meus orisas “ donos da cabeça”.

Não foi suficiente uma só consulta,conheci algumas pessoas e com elas consultei.

 Descobri que era mais fácil do que eu imaginava, jogar búzios, bastava saber matemática, isso mesmo, não precisava ser vidente, imaginei que.
 eu mesma poderia fazer aquilo.

Tudo era bem simples, uma soma com a data de nascimento e uma cruz, e ali estava o resultado, a resposta para os meus problemas, tudo sobre os meus orisás, tudo sobre a minha vida, estava tudo bem claro.

 Não era tão fácil assim, no meu caso que tenho nove na soma da data de nascimento era complicado  saber quem vai responder, oya, yemonja, sango, continuei na dúvida.
No fim  ficou entre Oya e Yemonja, uma parte da minha curiosidade estava sendo resolvida, eu imaginei que tudo estava certo.

Eu na época não percebi que essa  coisa tão simples de continhas fosse dar tantos problemas.

Então levada por uma necessidade, em busca de uma solução para um problema de saúde fui iniciada no Orisa.

Através da numerologia, e da data de nascimento foi encontrado finalmente o meu tão sonhado Orisa,Oya,´minha linda mãe.

 Com a feitura,  adoeci, a situação complicou e fiquei no terreiro apenas três meses, eu era vista como um problema sem solução.

Com a feitura a solução virou o problema principal e a minha saúde piorou, começou uma nova busca, agora mais do que nunca encontrar as respostas certas era fundamental.

Consultei com varias pessoas  até que conhecer a Religião Tradicional Yoruba, descobri que os Orisás nascem de um odu, descobri que um odu é composto por vários Orisas, descobri  que além de Oya, devo cultuar Iya mi,Osun,Sango, Obatala ,descobri que nossa religião é simples e que o Orisa não usa saia de armação, descobri tantas coisas, obtive mais informação.

Descobri que para saber um orisá não se soma a data de nascimento e muito menos se faz uma cruz.

Descobri que ninguém tem um casal de orisás e sim um odu onde é cultuado vários Orisás.

Descobri que em nossa religião existe uma literatura, os versos de ifá, nos versos tudo sobre o orisás é explicado, e a orientação para o dia a dia  por Ifá nos é dada.  

Hoje entendo porque existe uma quantidade enorme de pessoas com o Orisa  trocado, isso me deixa triste mas, cada um com sua cruz, se você acredita que Odu é assim, que com a data de nascimento você encontra o Orisa, siga fazendo a cruzinha, cada um com a sua cruz!




quarta-feira, 29 de maio de 2013

Ifá isso é estupides, burrice, ignorância ou conveniência?




Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola


Estupides é negar que houve adaptações para que o culto de orisá, no Brasil sobrevivesse.

Burrice é não aceitar que hoje, temos condições de recuperar tudo que foi perdido em razão da repressão de outrora.

Ignorância é permanecer como está com a desculpa que respeita as tradições e os antepassados.

Conveniência é usar benéficos da modernidade e informações, somente em alguns itens que beneficiam em uma questão especifica e em um tempo determinado.

Exemplos:

Usar tecidos yorubanos para se dizer conectado com a raiz até na forma de vestir, porem em modelos regionais, se o tecido yoruba o identifica com a raiz, certamente a identificação vai está em conformidade com o modelo tradicional.

Afirmar que joga por odu sem jamais ter recebido o merindilogun de alguém que tenha conhecimento e odu para tal.

Se dizer conectado com as tradições e usar adja, lagdiba, ileke de âmbar ou alabastro, mas não ter os orisás arrumados com odu. 

Falar meia dúzia de palavras em yoruba e não saber a tradução, do seu próprio oruko.

Distribuir cargos em sua casa, sem saber cantar no mínimo oye.
Fazer ebó de odu considerando o alinhamento do odu, com a quantidade, de itens a serem usados.

Dizer que vai consultar ifá e usar o merindilogun e lançar mão de somas da data de nascimento dia, mês e ano para identificar orisá.

Usar ekodide e não tirar o cabelo.

Se dizer iniciado, mas não seguir as indicações de ewo (proibições).
Usar osun, efun e waji, mas não conhecer folhas.

Pintar alguém com waji e ofun e não usar osun, é assustador.

Se dizer de orisá e levar iyawo na igreja, como diz dona Estela de Osossi, o povo ainda é escravo e não sabe.

Se dizer alinhado com cultura de orisá, e beijar a mão pedindo a benção, como indicação do catolicismo em relação ao sacerdote.

Se dizer atualizado e culto, e na festa para o orisá, servir maionese, estrogonofe, sem ter a mínima noção de como preparar um eko.

Achar que esta elegantemente vestida e chamar roupa branca de ração.
Se dizer que é feito de orisá e ter usado mokan.

Dizer que tem seu assentado e rezar diante de uma vasilha que tem um garfo de ferro.

Se dizer oloorisa e cantar para vodun, e ainda por cima colocar o iba de um orisa sobre um porrão.

Dizer que o orisá é tudo na vida e se incorporar com catiço.

Sacrificar escondido e não usar o seu próprio oruko e postar como esotérico.
Estupides, burrice, ignorância ou conveniência, a verdade é que todos os dias, em nosso país presenciamos auxiliares de enfermagem, se dizer médicos, auxiliares de pedreiro se dizer engenheiros, sargento dizendo que é general e idiota se titular sacerdote.

A falta de informação somada a interesses obscuros conduz por um caminho sem volta, a ignorância montada na arrogância.

Vai ter que existir em um futuro um órgão regulador, onde o despreparo impossibilite e o conhecimento, seja premiado.

Admitir que as monstruosidades que estão sendo feitas em nome do orisá, faz parte de um processo de seleção, é desculpar o errado sem reconhecer o certo, é dar credito para quem não merece e colocar todas as pessoas em um mesmo nível.



quarta-feira, 15 de maio de 2013



Ifá o despreparo e o perigo




Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola

A preparação de um babalawo é demorada, o awo (iniciado), que deseja atender com opele ou ikin, deve estar muito bem preparado, vejamos a seguir alguns perigos do despreparo.

Alguns odus bastante conhecidos para a prosperidade, estão sendo usados indistintamente, o odu irete alajé é um exemplo bastante conhecido por facilitar o ganho financeiro, deixa de ser citado, como um odu de risco de morte.

O odu oturopon iwori, é um odu que requer um tratamento especial porque inviabiliza naquele momento o uso do opele.

O odu ofun sa indica que o consulente não tem saída, há orientação é uma iniciação imediata.

Além desses odus perigosíssimos o odu oyeku ose e odu irete oyeku, indica que a morte esta próxima.

Vários odus, devem ser tratados com muito cuidado, o awo despreparado, além de correr riscos, coloca em perigo o consulente.





sábado, 11 de maio de 2013



Abominação ao senhor


Autor Babalawo Ifagabiyin Agboola

Em resposta ao texto postado em minha página, lanço os seguintes questionamentos.

Diz o texto que consultar os mortos, é uma abominação, gostaria de fazer algumas perguntas a este senhor, eu imagino que o senhor deve ter nascido de uma chocadeira, pois não respeita os parentes falecidos.

 Eu que venero meus antepassados, vou continuar homenageando os mortos!
Lhe pergunto:

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES PROCESSADOS POR ESTUPRO É UMA ABOMINAÇÃO?

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES PROCESSADOS POR ROUBO É UMA ABOMINAÇÃO?

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES PROCESSADOS POR ASSEDIO SEXUAL É UMA ABOMINAÇÃO?

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES PROCESSADOS POR LAVAGEM DE DINHEIRO É UMA ABOMINAÇÃO?

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES PROCESSADOS QUE FUGIRAM DO PAÍS PARA NÃO SEREM PRESOS É UMA ABOMINAÇÃO?

O GRANDE NÚMERO DE PASTORES CUMPRINDO PENA NOS PRESÍDIOS DE NOSSO PAÍS É UMA ABOMINAÇÃO?

OS PASTORES QUE ESTUPRAM CRIANÇAS É UMA ABOMINAÇÃO?

ROUBAR O DINHEIRO DE PESSOAS QUE MAL TEM PARA COMER, EM FORMA DE DÍZIMO, É UMA ABOMINAÇÃO?

VENDER TERRENOS NO CÉU E ACEITAR INÚMEROS CHEQUES PRÉ-DATADOS COMO UMA FORMA DE PAGAMENTO É UMA ABOMINAÇÃO?

ROUBAR, MATAR, ENGANAR, MENTIR, LUDIBRIAR E ESCARNECER DA FÉ ALHEIA É UMA ABOMINAÇÃO?

Sugiro ao senhor, que compre cigarros, para levar para os seus colegas no presídio, e lhe advirto na próxima certamente o senhor vai ser processado.


terça-feira, 7 de maio de 2013

Ifá e o Homossexualismo.

Autor:Babalawo Ifagbaiyin Agboola

Conversei com algumas pessoas, sobre esse assunto e fui aconselhado para que não abordasse esse tema.
Temos uma responsabilidade com os nossos leitores, de esclarecer, sei que muitas pessoas não vão ficar satisfeitas, com a minha abordagem, mas assumimos a nossa posição.

Muito se tem falado na internet sobre ifá e homossexualismo, a grande maioria das pessoas, só comenta o que lhes interessa, sabemos que esse nosso texto pode ser interpretado de várias formas e que certamente vai criar bastante polemica, mais diante da quase total falta de informação sobre o assunto, resolvemos colocar a nossa opinião de forma bem clara.

A grande maioria dos nigerianos, diverte-se no Brasil com o grande numero de pessoas homossexuais em nossa religião para eles isso é uma aberração.

São raros os nigerianos que vem para o Brasil que entende alguma coisa de ifá, a grande maioria é mulçumana, e estão aqui, para ganhar dinheiro, para eles, pouco interessa, se a pessoa é homossexual ou não.

Eles leem meia dúzia de livros e se dizem babalawos, o fato de falarem yoruba, e conhecerem a terra dos orisás, os coloca em uma posição privilegiada para se passarem por supostos sacerdotes, mas na verdade os presídios do estado de São Paulo e do Rio de Janeiro estão lotados desses sujeitos, a grande maioria deles envolvidos, no trafico.

Não podemos esquecer que para o nosso pais também vieram sacerdotes de verdade, homens dignos, que devem ser respeitados.

Com respeito ao homossexualismo e ifá, os cubanos assim como os nigerianos, deixam bem claro as suas posições, com raras exceções  eles não aceitam em hipótese alguma um babalawo que não seja hetero.
Alguns brasileiros, visando uma fatia considerável do mercado de trabalho escondem a sua posição, pensando nos lucros e nos benefícios que esse grupo de pessoas podem lhe trazer.

Na verdade existem vários versos de ifá que deixam bem claro a situação que envolve os homossexuais e em alguns desses versos, há uma indicação clara para a não pratica.

Conheci no Brasil babalawo nigerianos que mesmo sendo totalmente contra o homossexualismo, iniciam as pessoas, mas não fazem todos os rituais, esses senhores querem o dinheiro, o dinheiro é bom, mas as pessoas para eles, não merecem respeito.

Em nosso pais, existe um grupo de pessoas iniciadas como babalawos que sofrem com o preconceito e não tem os rituais completos de suas feituras, mas pagaram na integra o valor cobrado por seus iniciadores.

A forma de pensar de muitos desses senhores que vem para o nosso país, fica bem evidenciada em seus sorrisos irônicos, eles alegam que se uma pessoa é iniciada em ifá deve seguir cegamente tudo que esta escrito nos versos, para eles iniciar um homossexual é um negócio lucrativo.

Conversei com meu oluwo sobre esse assunto, perguntei a ele (o senhor inicia homossexual), ele disse o seguinte, (se a pessoa faz qualquer coisa  que eu pessoalmente não concorde, a minha opinião não importa, eu consulto ifá, e se ifá disser sim eu iniciou).

 A opinião do meu oluwo é bem clara, eu sigo os ensinamentos dele, quem somos nós para julgar ifá, devemos interpretar os versos, mas seguir cegamente é ignorância, não devemos esquecer que a grande maioria dos versos de ifá, hoje existentes tem algumas centenas de anos.

O homem deve evoluir, no pensar, o tempo passa, e as ideias devem ser aprimoradas,  os raciocínios adaptados ao nosso tempo, e a nossa cultura. Acredito que todo homem deve ter liberdade para tomar as suas decisões e hombridade para assumir as implicações.

Ifá em seus versos orienta as pessoas a interpretação desses mesmos versos pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o seu nível intelectual, social e moral, assim como de acordo com as suas vivencias e convicções assumidas.

Segue abaixo um desses textos, divulgado pelo porta voz do conselho mundial de ifá, órgão esses, que reuni os dez homens mais importantes do culto de ifá no mundo, não é um simples verso, é a opinião dos arabas, membros do conselho.

Não devemos esquecer que todos são nigerianos e expressam a sua opinião de acordo com a cultural existente naquele pais.

“DEIXO CLARO QUE INICIO TODAS AS PESSOAS QUE IFÁ INDICAR, INDEPENDENTE DE COR,SEXO,CONDIÇÃO FINANCEIRA OU PREFERÊNCIA SEXUAL, INICIO SIM, GAYS E LÉSBICAS SE FOR ESSA A ORIENTAÇÃO DE IFÁ,SIGO IFÁ COMO APRENDI COM O MEU OLUWO”.

Considero o preconceito abominável, nunca perguntei para ifá se alguém é homossexual para mim não interessa, a preferencia sexual das pessoas que atento, sigo as orientações de ifá, e como diz um amigo meu, (estamos conversados).


Odu Ofun Irete


Conforme Solagbade Popoola

" La Posición de Ifá en la Homosexualidad y el Lesbianismo (Escrito por Solagbade Popoola):
Un proverbio Yoruba dice: “A kii gbeja eewo; eewo lo ngbeja araa re”.
Uno no necesita pelear por un tabú, el tabú peleará por el mismo.
Mucho se ha dicho y escrito acerca de la posición de los amantes del mismo género en la Religión de Ifá. Algunos dicen que Ifá no tienen opinión en esta práctica, otros dicen que está en contra, mientras que otros más dicen categóricamente que Ifá apoya esta práctica.
Para evitar las dudas, recitaremos tres estrofas de Ifá para poner lsu posición clara en este tema tan controversial. La primera será toma de Odù Ofun Alaaye (Ofun Irete), donde Ifá dice:
Epo se e je'su
Isu se e j'epo
Akaso dun-un g'aka
Obinrin se e ba sun j'okunrin lo
Okunrin se e sun ti j'obinrin lo
B'okunrin ba n b'okunrin sun
Bii koko, bii oowo
Bi iku bi agbaarin
B'obinrin ba n b'obinrin sun
Bi epete bi oorun
Bi erofo bi eeri
B'okunrin ba n b'obinrin sun
B'obinrin ba nsun t'okunrin
Bi enf'ola yun'pun
Bi enf'ola yun'ra
Igi Ogun-O-Rete lo ro gangan-olele
Dia fun Apon-Ako
Ti nlo ree fi Olele omo Olofa saya
Apon p'Olele o je o
Ko ju ohun ti'fa n se lo o
Apon p'Olele o je o
Ko ju ohun t'Ebora n se lo o
Traducción:
El aceite de palma es bueno para acompañar al ñame y consumirlo, Y el ñame es bueno como complemento para comer el aceite de palma, La escalera es buena para subir la viga, Una mujer es mejor para hacer el amor con un hombre que otro hombre, Un hombre es mejor para dormir con una mujer que otra mujer, Si un hombre duerme con un hombre, Resultará en moretones, agua hirviendo y dientes, Si una mujer le hace el amor a otra mujer, Resultará dolor, mal olor, suciedad e irritación, Si un hombre le hace el amor a una mujer, Y una mujer duerme con un hombre, El resultado es sentirse en la cúspide del mundo, La sensación es como tener disfrute ilimitado e indescriptible, El órgano de Ofun Rete es fuerte y ampuloso, Esto fue lo que Ifá dijo aun Soltero, Cuando iba a casarse con Olele la primavera de Olofa, El soltero llamó a Olele pero ella dijo que no, El problema no es más de lo que puede resolver.
En este Odù Ifá resalta tres puntos:
1) Es mejor para un hombre hacer el amor con una mujer y viceversa, se disfruta más.
2) Las relaciones sexuales con personas del mismo género sólo pueden conducir a enfermedades y frustraciones.
3) Es la única forma en que se conciba a un hijo.
También significa que Olodumare, en su discurso que es Ifá, deliberadamente hizo las relaciones sexuales heterosexuales placenteras para así quitar las inhibiciones del camino de la concepción. El plan de Olodumare es que los humanos nos reproduzcamos. Las relaciones del mismo sexo inhiben la multiplicación de la raza humana.
Mucho se explica en una estrofa de Iwori Wodin (Iwori Odi), Ifá tiene esto que decir:
Iwori wodi o sebi nkan rere loun nse
Awo rere n'Iwori tonwodi na?
Dia fun Panla Apo
Ti ko roko fe
Ti yoo maa febinrin egbe e re
Ebo ni won ni ko wa se
Obinrin ti nfebinrin egbe e re
Eyin o mo pe o nloo woku idi ni?
Traducción:
Iwori tomo una mirada de admiración a los genitales y consideró que era una práctica apropiada. ¿Considera a Iwori que mira a los genitales como un buen Awo? Esta fue la declaración de Ifá a Panla-Apo, Que falló en asegurar un esposo para casarse Pero decidió estar enamorada de una mujer, Se le aconsejó hacer Ebó. Una mujer que hace el amor a otra mujer, ¿No creen que esta buscando una vida de inutilidad genital?
En este Odù Ifá dice:
1) Una persona que vea con fascinación a otra persona del mismo sexo nunca puede ser considerada un buen Awo. Y para tal persona ver los genitales de otra persona del mismo sexo es peor.
2) Involucrarse en relaciones sexuales con el mismo sexo es un ejercicio de fatalidad.
La implicación de esto es que cualquier persona que practique la homosexualidad, si es Ìyánífá, Iyalorisa, Babalawo o Babalorisa no se considera una persona decente o buen practicante. ¿Por qué una persona que cree profundamente en Olodumare y las divinidades se compromete en un ejercicio de fatalidad?
Todos somos seguidores de las divinidades. Estamos en una posición que es considerablemente envidiable para otros, con esa posición vienen una gran responsabilidad. Seguimos los pasos de las divinidades. Si esto es verdad, y estoy muy seguro que lo es, ¿quién de las divinidades tuvo relaciones sexuales con personas del mismo sexo cuando estaban en la tierra? ¿Qué parte de las vidas amorosas estamos emulando? ¿Qué sugirió las relaciones del mismo sexo? ¡Ninguna!
En otra estrofa de Iwori Wodin, Ifá dice:
Bayii laa selu Ilu i ba dun
Dia fun won niluu Iwori-Wodin
Nibi won ni ki won le Omo-Osu ilee won jade
Eyi to loko tan
Ti yoo maa ledi mo obinrin egbe e re
Ebo ni won ni ko waa se
Nje to ba se bayii laa selu
Ilu i ba dun na?
Traducción:
Si esta es la manera en que administramos la comunidad, La comunidad habría estado muy deseosa de vivir ahí, Este fue el mensaje de Ifá para los ciudadanos de Iwori Wodi, Los cuales fueron aconsejados por Ifá deshacerse del Omo-Osu, Aquellos, que después de haberse casado una vez, Eligen eyacular con una mujer, Fueron aconsejados hacer Ebó, Si esta es la forma en que administramos la comunidad ¿Habría estado la comunidad tan deseosa de vivir ahí?
En este Où, Ifá explica el significado de Omo-Osu (Ilemosu) una mujer que ha estado una vez casada, pero debido a diversas razones (Divorcio, muerte del esposo, separación, etc) regresa a la casa de sus padres a vivir. Cuando regresa a la csa de sus padres a vivir, ella prometió nunca tener nada que ver con un hombre otra vez, pero preferiría escoger a una mujer para amar y hacer el amor.
1) Algunas personas fueron una vez heterosexuales y debido a relaciones fallidas decidieron convertirse en homosexuales.
2) Tales personas deberían irse a las casa de sus padres porque ellos estaban practicando una inmoralidad y el rompimiento de un tabú.
3) El Soportar tales actos solo puede dirigirnos al caos.
Está es la razón por la cual cuando este Odù se releve es una consulta de Ifá al cliente se le aconseja que cualquier acto inmoral o no sagrado practicado por un Omo-Osu en su casa debe ser detenido de inmediato ya que puede causar problemas.
Algunos amantes del mismo sexo claman que los heterosexuales, homosexuales y bisexuales adoran al mismo Olodumare. Yo difiero. El servidor y adorador de Olodumare en su verdadero sentido debe emular las prácticas de las divinidades.
¿A cual divinidad están imitando? Si no hay ninguna, todos los Homosexuales están solos. Simplemente los homosexuales y lesbianas no tienen ningún lugar ni posición en la religión de Ifá.
Algunos Homosexuales dicen que sus Oluwos les han dicho que Ifá es silente en el asunto. Sería aconsejable que nos dejaran saber los nombres e esos Olowus que han dicho eso. Realmente dudo que haya un Babalawo que clame estas afirmaciones, y si lo hay, usamos este medio para prevenirles que nunca manifiesten consideraciones extrañas otras que las de Ifá, no engañen a más gente dándoles falsas esperanzas.
¡Los Homosexuales no tienen posición en el Ifá tradicional!

Aboru aboye

Babalawo Ifagbaiyin Agboola