terça-feira, 12 de maio de 2015

Tudo sobre ifá.

Babalawo Ifagbaiyin Agboola.( Opa Osun na Nigéria).

Orixá Opa Osun:

Opa Osun é conduzido pelo Oluwo do início ao fim do itefa, é comum ver fotos de iniciações de ifá na internet nelas o iniciado aparece com os animais pendurados ao corpo e com uma amostra de tudo que ele vai oferecer a ifá dentro de uma cabaça grande sobre a sua cabeça. Nessas fotos o mais importante quase sempre passa despercebido. Opa Osun é uma haste de ferro simples, mas com um grande significado, a haste medindo aproximadamente um metro e vinte, pode conter sobre ela um pequeno disco de ferro e algumas alusões que descrevem a ligação entre o céu e a terra, apontando simultaneamente para cima e para baixo em uma espécie de cone, porém o importante é a haste.

A haste de ferro é uma indicação clara da ligação desse orixá com Ogun, o orixá Ogun é o mais velho dos filhos de Oduduwa e representa um dos mais antigos descendentes, Oduduwa é a representação máxima na cultura Yoruba de nossos antepassados, sendo assim a ligação de Ogun e Opa Osun é definida claramente como a ligação entre antepassados e descendentes.

Na verdade Opa Osun julga e sentencia o sacerdote que é desonesto, o Opa representa inúmeras gerações de antepassados do Babalawo, sendo assim, uma ação desonesta ou incorreta prejudica o nome de todos os antepassados. Essa talvez seja a razão porque muitos sacerdotes de ifá não se interessa em cultuar esse orixá, o medo da represália por ações indevidas afasta os desonestos desse culto, porém sem esse Orixá não existe iniciação.

Opa Osun está presente na iniciação para acompanhar o iniciado em sua apresentação aos antepassados no primeiro ato do itefa, ele está presente em várias cerimonias dentro da iniciação, é diante de Opa Osun que o iniciado tem o primeiro contato com os seus ikins, e é também durante a cerimônia do terceiro e sétimo dia que esse orixá testemunha os rituais. Assim como é diante dele que é feita a retirada do ekodide, finalizando o itefa e reconhecendo o iniciado.

A haste de ferro que serve como base para o sabão, que purifica o corpo na iniciação é a mesma que vai receber o ekodide do iniciado e será a mesma que vai abrigar o símbolo do reconhecimento da integração daquele elemento, a família, sendo assim Opa Osun é um orixá familiar.

Se Opa Osun representa as várias gerações de Babalawos antepassados do iniciado é evidente que esse orixá caso aja uma mudança de família deverá sofrer uma alteração em sua montagem, buscando assim a ligação com os antepassados da nova família.

Essa questão de mudança de família em território Yoruba não existe, na terra mãe você nasce vive e morre com um mesmo sobrenome e trocar de nome é um gesto que envergonha e prejudica o infrator. Já no Brasil historicamente essa prática é muito comum, não vou me deter nesse texto para explicar os prejuízos de tal atitude, todos sabem que a traição é o pior dos atos no culto a orixá.

Salvo raras exceções de iniciados que nasceram em odus que indica a necessidade de ter Opa Osun, somente aqueles conhecidos com autorização para fazer iniciações tem esse assentamento, esclarecendo que não existe Oluwo sem Opa Osun e Iya odu.

 Essa é mais uma questão que vai gerar alguns comentários, mas a verdade é uma só, quem não tem esses dois orixás não pode iniciar em ifá, e isso não é uma questão familiar ou regional, isso é a verdade do ifá tradicional em território Yoruba.





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial