sábado, 23 de janeiro de 2016

Iyawó borboleta, isso não existe no Ifá!


Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola

Quando estive na Nigéria vi uma realidade completamente diferente de tudo que é dito em nosso país, a religião tradicional yoruba e a língua yoruba, assim como o culto ao Òrìșà estão intactos e mais fortes que sempre estiveram, lá nenhum templo foi destruído e os iniciados vivem nos mesmos lugares que seus antepassados viveram por gerações.

O discurso que na Nigéria a religião terminou serve de desculpa para aqueles que não querem se adaptar a uma nova realidade, a rede social nos aproximou da verdade de nossas raízes e é muito duro para os supostos donos do saber se identificar em com a terra mãe.

Quanto à comercialização de Òrìșàs isso esta cada vez mais forte em nosso país, alguns brasileiros vendem uma religião que jamais existiu, em uma de minhas viagens em uma cidade próxima de Salvador, tive a comprovação disso, diante de um suposto assentamento de Ìyá mi, feito em um ninho de passarinho com dois ovinhos, imagine a que ponto chegou a nossa religião.

As casas de Òrìșàs deixaram de servir a comida tradicional yoruba e começaram a servir bacalhau para alimentar os convidados.

Existe um grande comercio de fato, sacerdotes chegam a cobrar sessenta mil reais em uma iniciação.
Quanto à questão do não preparar os iniciados, existem muitas histórias, mas a mais comum é daqueles que se afogam em suas vaidades e não suportam a ideia de aprender e acreditam que já nasceram sabendo.

Essas figuras já são muito conhecidas na internet, quase sempre eles têm muitas fotos bonitas e um belo sorriso que se adequa a trajetória de suas vidas religiosas que facilmente podem ser identificadas como os donos da verdade.

O dono da verdade é aquela pessoa que eu denomino como borboleta do facebook:
- O Iyawó borboleta do facebook, pousa em todos os perfis e quase sempre eles dá mortos por testemunha, justifica que perdeu suas fotos de iniciação em um incêndio, além de dizer que o sacerdote anterior ficou com seus assentamentos por pura maldade.

 Sempre justifica o pouco tempo que ficou na casa anterior por algum tipo de perseguição, é comum eles argumentarem que existiam ciúmes ou por sua beleza ou por sua inteligência.
 Eles argumentam que o anterior sacerdote não ensinava, mas eles nunca quiseram estudar, como poderia aprender razão pela qual não sabem absolutamente nada, nem abrir um Obì.

 Com uma roupa muito elegante, sempre muito limpa, a figura encarna um personagem que se confunde entre o hip e o chique. Quase sempre o esperto tem alergia á penas de galinha e não está se sentindo muito bem, razão pela qual se afasta do trabalho braçal, escondendo uma preguiça gigantesca.

Com um ar de quem está atualizado com os fatos e fotos, ele nunca larga o celular, o personagem tem muitos contatos no watsapp e vive o tempo todo na casa de Òrìșà tomando café e respondendo os seus fãs da rede social.

 Postando no facebook todos os dias textos recortados de outros autores esses sabichões estão sempre muito ocupados para aprender com seu sacerdote e recorrem constantemente ao Baba Google e a ìyá Wikipédia.

O Iyawó borboleta tem um perfil no twitter, dois perfis no facebook, é conhecido no instragran, tem uma home page, dois sites e cinco blogs, se incorpora com a pomba gira Maria Gasolina, recebe o ere Gasparzinho que nunca aparece, dá consultas com o caboclo Sultão das mil e uma noites, tem orí méjì e um amplo conhecimento em astrologia, runas, taro, I ching e um notável saber nos búzios africanos.

Facilmente identificáveis como papagaios de piratas tem fotos com todos os famosos e fazem self até dormindo.

Quem não viu um desses personagens descrito acima no facebook fazendo perguntas para montar a sua colcha de retalhos de uma cultura que só eles reconhecem.











0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial