sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Jogo de Búzios


Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola

É muito interessante a dimensão que determinados textos alcançam quando despertam a curiosidade pública, segredos são divulgados, inverdades são inventadas e o desconhecido é criado como base do alicerce que mantém a mentira em forma de máscara para a ignorância.

Com o jogo de búzios não foi diferente as novelas, os filmes, as revistas e o diz que me diz conduziram esse oráculo sagrado através da estrada da popularidade de encontro à vulgaridade.
Nas grandes cidades em cada esquina tem um desocupado com um punhado de búzios na mão se dizendo sacerdote.

Essa forma dantesca da popularização do sagrado além de afastar os crédulos alimenta os incrédulos com argumentos incontestáveis gerados pela pior das impressões.

Deveria existir um movimento nacional para combater os falsos sacerdotes que usurpam da popularidade da religião afro brasileiro, enquanto isso não acontece delinquentes travestidos de sacerdotes divulgam um oráculo inventado por eles.

A verdade é que da verdadeira consulta ao mérìndilogun quase tudo se perdeu e muito foi inventados, poucos são aquele que praticam consultas com orientações confiáveis e comportamento ético.

O uso dos ibòs para identificar se o odu esta ire ou ibi foi substituído por uma bola de cristal que auxilia na aura de mistérios propicia ao embuste. As esteiras foram substituídas por um conjunto enorme de adereços que se sabe lá qual seria a intenção considerando o fato que a grande maioria dos objetos em nada se identifica com a religião dos Òrìșàs.

A falta de informação se agravou, a ambição se ampliou e a criatividade extrapolou os limites do aceitável, diante de tantas loucuras até opon ifá está sendo usado como parte da parafernália usada em consulta aos famigerados búzios.

Em mais uma tentativa de auxiliar os bons sacerdotes no combate aos supostos entendidos no uso do mérìndilogun, estamos mais uma vez divulgando a verdade sobre esse oraculo na religião tradicional yoruba.

O mérìndilogun é um instrumento usado somente por babalórisás e Ìyálóòrìsà, Bàbàláwos e Iyanifas costumam usar o opele ou os ikins em suas consultas.

Ao longo do tempo muito se tem falado sobre esse tipo de consulta mais a verdade é que existem inúmeros equívocos abaixo citarei os mais comuns:

1-    Chamar mérìndilogun de ifá.
2-    Consultar búzios sobre opon.
3-    Dizer que Òrúnmìlà fala nos búzios.
4-    Extrair odu de nascimento em consulta.
5-    Anotar a data de nascimento como referência.
6-    Imaginar que o Òrìșà do consulente fala na consulta.

São muitos os erros que poderiam fica descrevendo por longo tempo, por outro lado resolvemos postar informações que caracterizem uma identificação do método oracular mérìndilogun.

Não existe jogo de búzios sem iniciação em Èṣù e Òsun, em hipótese alguma um sacerdote que não seja iniciado nesses dois Òrìșàs poderá consultar o mérìndilogun. Òsun é a dona desse oraculo e Èṣù é o transmissor das informações fornecidas por ela ao consulente.

Os babalórisás e Ìyálóòrìsà que não tem muita experiência  interpretam o mérìndilogun até a decima segunda caída conhecida por ejilá, o odu extraído é identificado através do sistema de ibò se esta em ire ou ibi, por um sistema onde o consulente participa diretamente da consulta. O sistema de ibò mais comum identifica em um objeto confeccionado com búzios o odu em ire e o odu em ibi por um pedaço de o osso, o mecanismo é bastante simples na hora da consulta o consulente é convidado a escolher em qual das mãos sem que o sacerdote veja os búzios e o osso permanecerem posteriormente em um processo seletivo considerando a hierarquia usada em cada método em consultas complementares o sacerdote solicitará a abertura em uma das mãos.

Obs: evidentemente que não vamos descrever com exatidão o processo de seleção das mãos, porém para que o nosso leitor possa ter uma noção de como é o processo descreveremos da seguinte forma, as caídas de búzios pares identificariam a mão direita, e as caídas impares a mão esquerda no processo de ibò.

 O ire (sorte aspecto positivo), e o ibi (aspecto negativo) de um mesmo odu deve ser extraído com muito cuidado por que só assim teremos a capacidade de interpretar a verdadeira mensagem contida no jogo.

Esse texto apresenta algumas características do ire e do ibi constante em todos os odus. A ideia é chamar a atenção que um único odu não pode, como querem alguns, reunir todas as características positivas ou negativas existentes, como na atual obàrà mania.

1) Òkànràn- Èṣù, Ṣàngó.
IRE- Novo caminho, oportunidade material, progresso.
 IBI- Medo, insegurança, impulsividade.

2) Eji oko- Ibeji, Ìyá mi.
IRE-Nascimento, dualidade, inicia.
IBI-Morte, escuridão, desordem.

(3) Ògúndá- Ògún, Ọ̀sanyìn.
IRE-Profissão, construção, força.
IBI-Violência, desastre, doença, brigas.

(4) irosún- Ògún egun Yèmojà
IRE-Caminhos abertos, realização, ambição.
IBI-Intranquilidade, inquietação, arrependimento.

(5) Ose-Osun
IRE-Suavidade, ingenuidade, amor, riqueza, riqueza.
IBI- Ilusão falta de foco, fofoca, curiosidade.

(6) Obàrà- oxalá, Osòosì, Ṣàngó.
IRE-Sorte, paciência, habilidade, potencial.
IBI- Inveja, roubo, perda, inquietação.

(7) Odi -Oloogun Ede, Osòosì, Èṣù.
IRE-Liderança, persistência, sensibilidade.
IBI- Polêmicas, problemas, brigas, traições.

(8) Eji Ogbe- Ọbàtálá, Ifá, Yèmoja, Obàlúwaiyé.
IRE-Alegria, encanto, felicidade, grandeza, sucesso, inicio.
IBI- Nervosismo, preguiça, altos e baixos.

(9) Osa- Iya mi, Oya, Yèmoja.
IRE-Viagens, Espiritualidade, Família, mudança.
IBI- Falta de coragem, duvidas depressão.

(10)- Òfún Òsànlá
IRE-Vitória, determinação, realização, paciência.
IBI- Lentidão, desânimo, fraqueza, fragilidade.

(11) Òwónrín- Oya Egúngún
IRE-Pressa, poder, força, Otimismo, realização.
IBI- Perigo, acidente, violência.

(12) Ejila-(Iwori), Ṣàngó.
IRE-Emprego, dinheiro, negócios, política.
IBI- Avareza processos, loucura.

(13)métala, lka- Soponnan, ìyá mi, Nana.
IRE-Espiritualidade
IBI- Perigos, doenças, feitiços, morte.

(14) mérinlá, Oturupon- ìyá mi Obàlúwaiyé
IRE- Espiritualidade, vidência, intuição.
IBI- Doenças, fase negativa miséria.

(15)Mògún- (Òfún Òkànràn) Èṣù, Olóòkún.
IRE- A capacidade de recomeçar rapidamente.
IBI- A falta de Iniciativa, desilusão, decepção.

(16) mérìndilogun Irete- Ifá, Soponnan, sociedade Ogboni.
IRE-Ligação com a espiritualidade, o renascimento.

IBI-O fracasso, a morte.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial