quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Um verdadeiro Bàbáláwo.



Autor: Bàbáláwo Ifagbaiyin Agboola

Nos últimos anos com o crescimento da divulgação do culto a ifá no Brasil o numero de incidentes envolvendo supostos Bàbáláwos tem aumentado muito. Muitas pessoas me perguntam como identificar um Bàbáláwo de verdade?

Existem um grandes números de pessoas em nosso país se passando por Bàbáláwo, muitos são nigerianos, mas nesse meio também existem vários brasileiros.

Quando eu me iniciei no ifá não existiam muitas pessoas que tinham coragem de dizer que eram Bàbáláwos brasileiros a historia mudou e hoje até quem não é, se diz.

A falta de dinheiro tem gerado um fenômeno muito interessante em todos os segmentos de nossa sociedade e multiplicam se os canalhas.

Nos presídios brasileiros o aumento do numero de nigerianos serve como um alerta que não pode ser tratado com indiferença.

Muitos nigerianos que chegam a nosso país estão ligados diretamente ao tráfico internacional de drogas, e é comum ver supostos Bàbáláwos iorubanos vendendo tecidos e obi.
Comerciante é comerciante e sacerdote é outra história.

Essa é uma das formas para identificar um falso Bàbáláwo, um sacerdote de ifá não comercializa artigos religiosos.

Um Bàbáláwo tem que ser um exemplo para a sociedade independente de sua nacionalidade, imagine se seria possível que Òrúnmìlá aceitasse que um sacerdote comercializasse os itens indicados por ele para um ebó.

 Tal raciocínio é impossível, pois na falta de um material na anseia de obter o dinheiro a falta de caráter poderia levar a mudança da orientação de ifá.

Uma pessoa que fala o idioma em yorùbá não necessariamente é um Bàbáláwo se fosse assim também seria correto que qualquer pessoa que domine o idioma inglês deva ser americano ou britânico. O idioma ou as vestes não deve confundir quem esta em busca de religiosidade.

Alguns nigerianos que vem para o Brasil são mulçumanos, esse sujeitos ávidos por dinheiro dizem ser profundos conhecedores da religião tradicional yorùbá, esse fato tem frustrado muito o contato dos iniciados em òrìsà do nosso país com os supostos sacerdotes.

Outra questão que tem chamado muita atenção é o quase total desconhecimento dos significados da palavra ética de alguns sacerdotes iorubanos que chegam ao nosso país, o desespero por dinheiro faz com que essas pessoas comercializem o inimaginável.

O comercio de títulos por parte de alguns sacerdotes yorùbá para pessoas recém-iniciadas em nosso país é um escândalo que deveria envergonhar brasileiros e nigerianos, ao invés disso o que assistimos em contato com esses supostos sacerdotes da terra mãe, é o fato que tudo se vende e tudo se comprar, menos dignidade.

Seguindo assim, em breve o Brasil vai se tornar o país do mundo com maior números de arabas, se facilitarmos em breve teremos o nosso próprio Alaafin acompanhado de um certificado com palavras escritas em Yoruba.

 A situação se não fosse gravíssima seria cômica, porque o numero de disparates divulgados em nome de ifá em nosso país se multiplica em uma velocidade que só o dinheiro alimenta.

Muitos são os culpados por essa aberração, tem culpa brasileiros e yorùbá, embora a mola propulsora seja a ganancia.

Quando estive no território yorùbá conheci muitos homens que sabem versos de Ifá, mas que no convívio diário não merecem ser chamados de Bàbáláwos, mas também conheci bons sacerdotes de Ifá.

Graças a Òrúnmìlá eu tive muita sorte nessa procura e fui agraciado conhecendo verdadeiros Bàbáláwos, é esse fato que me estimula no combate a mentira que tanto prejudica a nossa religião.

A ética, o respeito, a honestidade e a dignidade, substituem com facilidade a formação acadêmica de muito intelectuais diante da espiritualidade, no ifá a postura digna diante do sagrado muitas vezes substitui o herodito.

O que os brasileiros esperam dos yorùbá que vem em nome da fé para o nosso país é respeito, é impossível que tudo esteja à venda, é impossível que tudo tenha um preço, mas também é inaceitável que existam pessoas dispostas a tudo comprar em nosso país.

Se cada um que aqui chega dizendo que é Bàbáláwo fosse investigado a realidade não seria tão frustrante. A falta de caráter de alguns desses senhores deveria envergonhar a todos, mas principalmente deveria envergonhar os verdadeiros Bàbáláwos yorùbá e brasileiros.

Uma coisa é certa para identificar um Bàbáláwo de verdade, a pessoa disposta à busca tem que ser no mínimo honesta.

Brasileiros sem caráter, sempre vão conseguir se identificar com pessoas com as mesmas características não importa de que país elas venham.






0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial