quarta-feira, 6 de junho de 2018

È S Ì




 
Devido à grande procura pelo curso de filosofia e teologia Yorùbá resolvemos reabrir as inscrições na Escola Superior de Ifá.
No início tínhamos uma capacidade técnica para atender mil pessoas devido à grande procura tivemos que fazer um upgrade e aumentar a capacidade para três mil pessoas.
O sucesso foi enorme no dia de ontem e superamos o número de três mil pessoas e isso nos obrigou a fazer um novo upgrade possibilitando assim que um número bem maior de alunos possa participar dos nossos cursos.
Para isso resolvemos reabrir as inscrições, agradecemos o carinho de todos com o nosso trabalho.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO!

www.escolasuperiordeifa.com.br

quinta-feira, 31 de maio de 2018


Parabéns


Texto: Oluwo Ifagbaiyin

Hoje é um dia histórico para a Religião tradicional Yorùbá no Brasil, a Escola Superior de Ifá começou a funcionar como um estimulo para todos que tem um sonho de ver o respeito pela nossa religião resgatado em nosso país.

Hoje um sonho se tornou realidade, o conhecimento está finalmente ao alcance daqueles que não tem condições financeiras para receber uma formação adequada para praticar a sua fé.
Hoje o conhecimento sobre òrìsà está disponibilizado e as informações começam a ser reveladas sem custos que outrora proibiam o acesso.

O Ifá é patrimônio da humanidade e não é nenhum acadêmico que vai transmitir o saber que somente os iniciados tem acesso.

Não é um professor de Harvard que vai desenvolver a tese sobre o òrìsà e o homem em um banco de uma universidade distante da realidade que só a fé desnuda o sagrado.

A pessoa mais indicada para falar sobre ifá é um Bàbáláwo, e não poderia ser diferente.
 Os guardiões da Teologia e da Filosofia Yorùbá são os Bàbáláwos.

A sobrevivência das tradições Yorùbás só foi possível com o trabalho de memorização dos versos de Ifá pelos Bàbáláwos.

Historicamente a função dos Bàbáláwos nas antigas cidades Yorùbás fortaleceu a imagem do sacerdote de Ifá não como um simples religioso e sim como um grande líder imensamente respeitado e admirado pela comunidade.

 O Bàbáláwo é o responsável pela conservação e a divulgação da Teologia e da Filosofia de todos os praticantes do Ẹ̀sìn Ìbílẹ Yorùbá.

O Bàbáláwo tradicional entre outras atribuições, faz casamentos, batizados, rituais fúnebres ao mesmo tempo que, orienta o posicionamento político de seus iniciados.

Mesmo as autoridades e os representantes do governo na Nigéria, assim como os sacerdotes das outras religiões praticadas no território Yorùbá reconhecem a autoridade do Bàbáláwo.

A distinção chega ao ponto de muitos Bàbáláwos serem aclamados com o termo Kabiyesile (majestade em casa) nas ruas e no comércio, tanto isso é verdade que somente é permitido o uso de alguns símbolos da realeza daquele país por Bàbáláwos.

A Posição de um Bàbáláwo na sociedade no território Yorùbá, é constantemente exaltada nos versos de Ifá, e o respeito da população por esses sacerdotes também.

Um Bàbáláwo não é somente o representante direto de Òrúnmìlá na terra, ele é um representante de Olódùmarè como diz o verso do Odu Òtúrá Irẹtẹ.

As pessoas devem respeitar os Bàbáláwos e os Bàbáláwos devem agir de maneira que esse respeito seja conquistado como exercício de vida dignificando a determinação de Olódùmarè.

Acesse o link:
Escola Superior de Ifá.
www.escolasuperiordeifá.com.br





segunda-feira, 28 de maio de 2018

Escola superior de Ifá (ÈSÌ).

Escola superior de Ifá (ÈSÌ).


Mais de duas mil pessoas fizeram as inscrições para o curso de Filosofia e Teologia Yoruba, faça a sua inscrição e se junte a nós nessa caminhada rumo ao futuro.
Aprenda sobre a nossa religião sem sair de casa na Escola Superior de Ifá.
Se no Brasil existem escolas para a formação de sacerdotes católicos, budistas, islâmicos e do judaísmo, porque algumas pessoas se opõe a criação da Escola Superior de Ifá?
Se em todas as religiões os sacerdotes tem que estudar, será que é só na nossa religião que as pessoas devem dispensar os estudos?
Venha estudar conosco, a Escola Superior de Ifá quer participar da formação de nossos sacerdotes.
Temos que ter homens e mulheres preparados para representar o nosso povo nas decisões desse país.
Junte se a nós, vamos estudar juntos, juntos somos mais fortes.
Faça a sua inscrição:

domingo, 27 de maio de 2018

Escola superior de Ifá (ÈSÌ).

Escola superior de Ifá (ÈSÌ).



Mais de duas mil pessoas fizeram as inscrições para o curso de Filosofia e Teologia Yoruba, faça a sua inscrição e se junte a nós nessa caminhada rumo ao futuro.
Aprenda sobre a nossa religião sem sair de casa na Escola Superior de Ifá.
Se no Brasil existem escolas para a formação de sacerdotes católicos, budistas, islâmicos e do judaísmo, porque algumas pessoas se opõe a criação da Escola Superior de Ifá?
Se em todas as religiões os sacerdotes tem que estudar, será que é só na nossa religião que as pessoas devem dispensar os estudos?
Venha estudar conosco, a Escola Superior de Ifá quer participar da formação de nossos sacerdotes.
Temos que ter homens e mulheres preparados para representar o nosso povo nas decisões desse país.
Junte se a nós, vamos estudar juntos, juntos somos mais fortes.

Faça a sua inscrição:


quarta-feira, 23 de maio de 2018

Escola Superior de Ifá (ÈSÌ)


Escola Superior de Ifá (ÈSÌ).



Mais de duas mil pessoas fizeram as inscrições para o curso de Filosofia e Teologia Yoruba, faça a sua inscrição e se junte a nós nessa caminhada rumo ao futuro.
Aprenda sobre a nossa religião sem sair de casa na Escola Superior de Ifá.
Se no Brasil existem escolas para a formação de sacerdotes católicos, budistas, islâmicos e do judaísmo, porque algumas pessoas se opõe a criação da Escola Superior de Ifá?
Se em todas as religiões os sacerdotes tem que estudar, será que é só na nossa religião que as pessoas devem dispensar os estudos?
Venha estudar conosco, a Escola Superior de Ifá quer participar da formação de nossos sacerdotes.
Temos que ter homens e mulheres preparados para representar o nosso povo nas decisões desse país.
Junte se a nós, vamos estudar juntos, juntos somos mais fortes.

Faça a sua inscrição:

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Òrìşà, mais ou menos.


Autor: Oluwo Ifagbaiyin Agboola.
Os padres católicos apreendem filosofia e teologia, o mesmo acontece com os sacerdotes do Judaísmo, do Budismo, do Islamismo e também do Xintoísmo, etc.
Os nossos sacerdotes deveriam ser preparados para poder participar da gestão do nosso país representando os interesses da nossa religião.
Ao contrário disso o que é visto na maioria dos casos é escândalos nas páginas policiais.
O ideal seria que todos se preocupasse com esses detalhes.
Infelizmente não é isso que acontece.
Em um país que tem um presidente, mais ou menos, um senador mais ou menos para o futuro, vários governadores mais ou menos e inúmeros prefeitos e deputados mais ou menos, e que prepara médicos mais ou menos, engenheiros mais ou menos, advogados mais ou menos e sacerdotes mais ou menos.
O resultado é um país com uma segurança mais ou menos, uma educação mais ou menos, uma saúde mais ou menos, e muitos prédios mais ou menos caindo.
O que nós temos muito bom no Brasil é críticos, nesse quesito o nosso país é campeão.
Ao invés de criticar as pessoas deveriam criar novos caminhos, possibilitando que o nosso povo tivesse mais acesso a informação assim nós teríamos menos despreparados e mais dignificados para o sacerdócio.
O conhecimento, fortalece a postura que representa o conhecimento de nossos antepassados e a tradição se afastando do desejável folclore.
O conhecimento desmitifica as superstições e possibilita um diálogo reconhecido pela comunidade e respeitado pelas autoridades e a sociedade dos mais diversos seguimentos e a sociedade como um todo.
Estudar é preciso!



terça-feira, 20 de março de 2018

A trairagem e o Òrìsà


Outro dia estava assistindo um filme que conta uma parte da história do povo romano e fiquei muito impressionado com os acordos financeiros e políticos que eram feitos naquela época para que as pessoas se mantivessem no poder.
Chama a atenção que em nosso pais não é muito diferente daqueles tempos sombrios da velha Roma.
Resolvi escrever o texto com o nome de trairagem porque essa palavra ficou bastante conhecida quando alguns políticos em nosso país resolveram denunciar seus colegas para salvar a pele.
A traíra é um peixe como todos sabem que tem dentes fortes e afiados, ela é conhecida pelo seu comportamento agressivo até contra a sua espécie.
Na história humana sempre que falta dinheiro as traíras se multiplicam e nos dias de hoje com a crise econômica o que mais se vê é traíra.
É interessante dizer que em todos os seguimentos existem os traidores e os safados que fazem qualquer coisa para obter dinheiro, na religião dos Òrìsàs não é diferente todos os dias recebemos notícias de mais uma trairagem.
Não é surpresa encontrar nas entrelinhas da internet pessoas que se dizem seu amigo, em ato de covardia aos sussurros tentando denegrir a sua imagem mesmo se dizendo seu amigo.
Infelizmente a humanidade tem assistido ao longo da sua história esse tipo de comportamento que a todos envergonha.
A impressão que tenho é que o ser humano está se acostumando com a safadeza.
As pessoa iniciadas na religião tradicional Yorùbá não deveriam ter esse comportamento, essa forma de agir compromete os seus antepassados e envergonha toda a comunidade.
A iniciação em Òrìsà deveria servir para unir as pessoas em benefício da humanidade, buscando o entendimento e o respeito.
O Òrìsà deveria ser cultuado para que as pessoas conseguissem ter uma vida mais tranquila.
Ao contrário disso o que se vê é uma constante disputa pelo poder e nessa luta desenfreada prevalece a maldade, a falta de caráter e a covardia.
Particularmente não concordo com o termo trairagem para designar o comportamento dessas pessoas, a traíra é um peixe muito valente e muito ágil que emprega grande parte de sua energia em busca de alimento.
É errado usar o termo trairagem para designar covardes e vagabundos que tentam prejudicar o trabalho alheio.
O ideal seria chamar esse povo de parasita, esse termo seria mais adequado para esse tipo de verme.
Autor: Olúwo Ifagbaiyin