domingo, 14 de junho de 2020

Orgasmos incontroláveis e convulsivos



Ontem se vivo estivesse meu Bàbálòrìsà estaria completando cento e doze anos.

 Sendo assim vocês já podem imaginar que eu não sou nenhum menino. A educação que eu recebi no século passado é completamente diferente de tudo que eu vejo hoje, mas eu não critico esse fato.

Me chama a atenção é a falta de amor nas pessoas, os valores mudaram e um celular vale mais que um ser humano. Normalmente as pessoas nos dias de hoje passam mais tempo com o celular na mão que o tempo dedicado a seus filhos ou a seus pais.

No dia treze de junho foi o aniversário do meu òrìsà e poucas pessoas se lembraram dessa data, isso me motivou a escrever esse texto.

Orgasmo no dicionário do nosso idioma faz referência a efervescência de sentimentos, excitação incontrolável do espírito.
Acredito que é só com os celulares na mão as pessoas estão sentindo prazer, parece que a relação com os seres humanos é coisa do passado.

Ninguém tem paciência para olhar nos olhos dos seus semelhantes e tentar entender as fragilidades dos seus amigos ou familiares, nada importa só a rapidez da informação desnecessária da rede social.

A modernidade está nos transformando em pessoas sem sentimentos.

As pessoas não lembram mais de pequenos gestos, carinho, amor e atenção são coisas do passado.

Com essa pandemia tudo está mudando muito rapidamente, infelizmente para pior.

A morte está sendo banalizada e a perda da vida está sendo tratada com muita naturalidade e parece que qualquer um pode ser substituído.

O homem está cada dia menos sensível e a religião tem a obrigação de auxiliar os indivíduos na correção do curso.

O prazer não pode se limitar a situações provocadas por curtidas na rede social, e o número de contatos não pode substituir as pessoas da sua vida, existe mais que isso, existe sentimento, existe amor, carinho e ternura.

Experimente desligar por algum tempo seu celular, de amor a quem está a seu lado, talvez você descubra outras maneiras de sentir prazer, talvez você sinta um orgasmo incontrolável, convulsivo e extremamente gratificante.

Autor: Oluwo Ifagbaiyin Agboola



quarta-feira, 18 de março de 2020

Borra ou escória da religião





 Autor: Ifagbaiyin Agboola

Quando eu vejo na rede social alguns (ditos) sacerdotes falando me lembro do processo de fundição dos metais.

Os pronunciamentos públicos de alguns supostos líderes religiosos prejudicam a imagem do sacerdócio e também prejudicam a teoria natural da evolução.

Eles representam a pior fase da evolução da espécie humana.
Eles são marginais, ladrões e bandidos que estão se passando por religiosos, mas eles não conseguem esconder as suas verdadeiras intenções.

São oportunista, refugos, escória da humanidade que visam se locupletar com fé dos ignorantes.

No processo de fundição na alta temperatura assistimos um espetáculo belíssimo da criação de matais nobres, mas também visualizamos a borra que deve ser descartada.

Nesse momento que o mundo todo está preocupado com o Corona vírus alguns desses idiotas só conseguem enxergar os seus umbigos.

O nosso povo deve observar a fundição porque a temperatura vai aumentar e o lixo deve ser descartado.
Não se enganem porque na fundição o lixo é que aparece na superfície.

domingo, 15 de março de 2020

O CORONAVÍRUS JÁ CHEGOU AO BRASIL!



Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.
Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel


quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

A verdade é o caminho.

É dever do homem de bem denunciar aqueles que prejudicam o desenvolvimento da Humanidade.
Se uma pessoa é confirmada como Ladrão, você não pode dizer que ela é um Anjo.
Se você esconde a verdade a cumplicidade vai lhe destruir por dentro, a sua paz vai virar agonia.
Não chame o branco de preto, não chame o preto de branco.
Não diga que é noite se é dia, não diga que é dia se é noite.

O maior Ladrão de todos é aquele que rouba a sua fé.

Um Ladrão é um Ladrão, diga para todos que ele rouba.

Oluwo Ifagbaiyin

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019


IFÁ NO NOVO MUNDO

Considerando o fato que a chegada do Ifá no Brasil foi muito recente do ponto de vista histórico, existem vários esclarecimentos que devem ser divulgados para que o publico em geral não se torne vítima de supostos sacerdotes.
Se uma pessoa decide que pretende ser submetido a uma iniciação em Ifá ela deve ter em mente que o culto ao bom caráter (Iwa pele) é o único caminho para a realização plena dentro da Religião Tradicional Yoruba.
Não são todas as pessoas que são providos de má fé, temos conhecimento que existe um percentual de pessoas que confundem o Candomblé e a Religião Tradicional Yoruba.
Uma pessoa coerente entende que o Candomblé quando chegou no Brasil era praticado como se prática a Religião Tradicional Yoruba nos dias de hoje.
O tempo passou e muitas coisas foram modificadas, embora a resistência e a determinação dos babalorisas tenha conservado grande parte dos rituais que aqui chegaram a mais de um século.

A diferença entre esses dois seguimentos não pode ser ignorada.

Não queremos e não vamos discutir essas diferenças porque o objetivo desse texto é explicar como acontecem o estelionato na religião de Òrìṣà em nosso país.
- Se um Bàbálórìsà do candomblé quiser se tornar um Bàbálórìsà da Religião Tradicional Yoruba é evidente que ele deve passar por rituais de iniciação em alguns Òrìṣà fazendo idosu novamente nesse novo seguimento com o objetivo de adquiri preparação para iniciar novos membros na Religião Tradicional Yoruba.
- O mesmo acontece com Bàbálórìsà que fazem parte da tradição que pretendem fazer iniciações no Candomblé, quem não tem idosu no candomblé não faz Òrìsàs nesse segmento.
- O mesmo processo se aplica com a Umbanda e outros segmentos da Religião Afro Brasileira, a pessoa só pode dar o que tem, se não for assim não está correto.
- Uma pessoa com dificuldades financeiras pode receber um igba de Òrìṣà que a título de misericórdia foi confeccionado com um mínimo de componentes, mas isso não torna a pessoa um sacerdote daquele Òrìṣà com permissão para atender e iniciar.
- Até uma pessoa que não é iniciado pode receber um assentamento para proteger a sua residência ou o seu negócio, mas isso não torna a pessoa um sacerdote e ela não tem permissão para fazer iniciações.
Para ser sacerdote da Religião Tradicional Yoruba é necessário fazer todos os rituais, inclusive os rituais referentes ao terceiro, o sétimo e o decimo sétimo dia de iniciação.
Na religião dos Òrìṣà existe uma frase que é muito esclarecedora, “Ninguém pode dar o que não tem”.
- Uma pessoa que não tem o assentamento dos seus Òrìṣà com todos os rituais pertinentes jamais poderá se dizer um iniciador, ele permanece sendo um iniciado.
- O obé, (faca), e o Èrìndílógún (búzios) poderão ser preparados com a finalidade de uso futuro, assim como um opon e um òpèlè, mas isso não caracteriza que a pessoa tem permissão para usá-los.
Na Religião Tradicional Yoruba assim como no candomblé o oye (título) deve ser anunciado com antecedência e entregue em cerimonias públicas.
- Um Omo Ifá ou um Awo Ifá pode ser Bàbálórìsà, mas um Awo kekere, um Bàbáláwo ou um Olúwo jamais poderão ser Bàbálórìsà. Isso acontece em razão dos juramentos feitos no momento da sacralização dos òpèlè.
- O òpèlè é um Òrìṣà que após a iniciação proibi o uso dos outros oráculos, um Awo Kekere, um Bàbáláwo ou um Olúwo, jamais poderá consultar publicamente com Mérìndilogún, como descreve o verso o verso abaixo postado pelo Àràbà Awodiran Agboola.

Bàbáláwo não usa Èrìndílógún.

Wiwa laawa Bàbáláwo ko to rubo fun ni.
(Odu Ejiogbe)
We look for Bàbáláwo to perform sacrifice for you.
Message.
1. A good Bàbáláwo doesn't advertise himself.
2. A good Bàbáláwo will be searched for even if he lives under the soil.
3. A good Bàbáláwo doesn't use any other method to read people other than òpèlè or ikin ifa or any other form of divination approved by Ọ̀rúnmìlà.
4. A good Bàbáláwo doesn't boast that he can turn daylight to midnight.
5. A good Bàbáláwo doesn't scare, harass, and intimidate people with fabricated prophecy to enrich their pockets.
6. A good Bàbáláwo doesn't coerce people into doing ebo (sacrifice ).
7. A good Bàbáláwo doesn't lie to solve his financial predicament.
8. A good Bàbáláwo shall always be rewarded for dedication and righteousness.
If you belong to any of these negative categories like someone (fake Bàbáláwo) tried to do to my cousin, you better stop for your own good before the wrath of the gods descend on you.
Those who have ears, let them hear.
Stay blessed all good people.
From Àràbà of Oworonsoki Kingdom, Lagos Nigéria.

(Português)

1. Um bom Bàbáláwo não se anuncia.
2. Um bom Bàbáláwo será procurado, mesmo que viva sob o solo.
3. Um bom Bàbáláwo não usa nenhum outro método para ler pessoas que não sejam òpèlè, ikin ifa ou qualquer outra forma de adivinhação aprovada por Ọ̀rúnmìlà.
4. Um bom Bàbáláwo não se vangloria de poder mudar a luz do dia para meia-noite.
5. Um bom Bàbáláwo não assusta, assedia e intimida as pessoas com profecia fabricada para enriquecer seus bolsos.
6. Um bom Bàbáláwo não obriga as pessoas a fazerem ebo (sacrifício).
7. Um bom Bàbáláwo não mente para resolver sua situação financeira.
8) Um bom Bàbáláwo sempre será recompensado por dedicação e retidão.
Se você pertence a alguma dessas categorias negativas como alguém (falso Bàbáláwo) tentou fazer com meu primo, é melhor parar para o seu próprio bem antes que a ira dos deuses caia sobre você.
Quem tem ouvidos, ouça.
Fique abençoado todas as pessoas boas.
De Àràbà, Reino de Oworonsoki, Lagos Nigéria
Quando em um isefa aparece a indicação no Odù que o omo ifá deve se tornar uma Babalawo o mesmo deve ser submetido a uma segunda cerimonia para que seja extraído um novo Odù que vai indicar as orientações para o seu período de estudos.

Só assim após a segunda cerimonia o omo ifá será chamado de awo kekere, durante esse processo ele será instruído para aprender a consultar um òpèlè, esse Opele é confeccionado com pedaços de cabaças, chamado pankara.

O awo kekere não recebe iroke e muito menos opón ifá.
 É comum ver pessoas consultar o Mérìndilogún sobre um opón, para quem conhece a nossa religião isso é uma grande ofensa a Ọ̀rúnmìlà pois esse instrumento pertence exclusivamente aos Bàbáláwos e Ìyánifás.

Um awo kekere não permissão para atender com òpèlè somente após o itefa e o Ìtélódù ele será considerado um Babalawo e começara o seu treinamento que em média leva no mínimo quatro anos.

O òpèlè que o Babalawo recebe no Ìtélódù que é alimentado junto com seu ifá é totalmente diferente do òpèlè usado em consultas no dia a dia.
 O òpèlè de consulta é alimentado em cerimônia restrita e os rituais que envolve a sua preparação são consideradas segredos.

Uma pessoa por não ter condições financeiras ou por não ter a indicação de ifá sinalizando a iniciação em Ìyá Odu (Ìtélódù) pode permanecer por anos como estudante (awo kekere).

O Odù ogbe bara fala sobre a preparação do Opele e sobre o ewo (proibição), do atendimento gratuito, fato esse que para alguns Bàbáláwo pode gerar inúmeros problemas. Para evitar que o Babalawo entre em ewo um pagamento mínimo simbólico deve ser efetuado na consulta.

Em um isefa o pré-iniciado não recebe iroke, opón, òpèlè e não tem sua cabeça raspada.
 Infelizmente a falta de conhecimento de alguns jovens Bàbáláwo em nosso país geraram alguns conflitos que hoje começam a ser esclarecidos através do contato com bons Bàbáláwos da Nigéria.

A falta de conhecimento de alguns os leva a um improviso.
Os despreparados inventam rituais baseados em suas iniciações implicando em rituais descabidos e sem propósito.

Alguns chegam ao ponto de enterrar ikins em rituais de isefa, demonstrando assim a sua total falta de conhecimento.
 Entendo esses gestos absurdos como além de total ignorância e despreparo, na verdade vejo como uma forma de valorizar os ritos com a intenção de elevar os preços.

Bàbáláwo

Existem várias definições da palavra Bàbáláwo, mas a mais conhecida é pai do segredo, pai do conhecimento das coisas materiais e espirituais.

Seria muito bom se fosse assim, se todo Bàbáláwo fosse o pai ou senhor do segredo, porém a realidade é muito diferente daquilo que imaginamos, assim como nas demais profissões, os sacerdotes de ̀rúnmìlà precisam estudar e se especializar para que conquistem o respeito de sua comunidade.

No Ifá é exigido muito estudo, muita dedicação, assim como anos de trabalho, mas só isso não é o suficiente.

Não é toda a pessoa que é submetida a um Ìtélódù que vai ser um Bàbáláwo, o ritual credencia, mas não habilita.

No Ìtélódù, os rituais possibilitam que o iniciado tenha acesso a informações que o transformarão em um sacerdote, mas a principal mudança é interna, se não houver a melhoria do ser, a transformação não acontece.

O sacerdote de ̀rúnmìlà deve ser um exemplo para a sociedade, mas isso nem sempre acontece, mesmo no território yoruba o excesso com a bebida, a preguiça e a falta de caráter terminam afastando o homem de seu destino.

A falta de ética motivada pela ganância e pela vaidade corrompe os princípios e enfraquecem o caráter, gerando um afastamento gradual que ocasiona a perda do poder de realização.

Existe uma diferença muito grande entre ser Bàbáláwo e ser iniciado em Ifá, um Bàbáláwo é um sacerdote que vai dedicar sua vida a estudos e a melhoria do seu caráter se capacitando a o atendimento da população.

Um Bàbáláwo não usa drogas, não é alcoólatra, ele não quebra a sua palavra, ele não trai.

Um Bàbáláwo paga as suas dívidas.

Um Bàbáláwo é honesto.


ÒTÚRÁ-RETE


Òtúrá-Rete controla você.

Se você nascer, tente se produzir novamente.

Òtúrá-Rete, Amuwon, Amuwon, ele que sabe que a moderação nunca entrará em desgraça.

Eu digo: Quem sabe a moderação?

̀rúnmìlà diz: Ele que está trabalhando.

Eu digo: Quem sabe a moderação?

̀rúnmìlà diz: Ele que não desperdiçará o dinheiro dele.

Eu digo: Quem sabe a moderação?

̀rúnmìlà diz: Ele que não roubará.

Eu digo: Quem sabe a moderação?

̀rúnmìlà diz: Ele que não tem dívidas.

Eu digo: Quem sabe a moderação?

̀rúnmìlà diz: Aquele que nunca bebe álcool,

Aquele que nunca quebra um juramento com os amigos.

Òtúrá-Rete, aquele que acorda muito cedo e medita dentro dele por causa das atividades!

Entre os espinhos e cardos,

a folha do dendezeiro se projetará para fora.

Jowóro nunca gastará todo o seu dinheiro,

Jokoje nunca será um devedor.

Se Eesan dever muito dinheiro, ele pagará a dívida.

Amuwon é o ameso, (aquele que tem um bom senso do que é certo).


Oluwo Ifagbaiyin







segunda-feira, 8 de julho de 2019

Inteligência, experiência ou a honestidade?


 Inteligência, experiência ou a honestidade?




Outro dia uma pessoa muito inteligente me perguntou o que não pode faltar em um sacerdote, a inteligência, a experiência ou a honestidade?

Não foi difícil responder a pergunta do meu amigo, a honestidade é insubstituível na vida de um sacerdote.

Eu conheci muitos sacerdotes que não são muito inteligentes que tem sucesso e alguns com pouca experiência que tem bastante fama.

Mas não conheci nenhum sacerdote desonesto que tem uma vida feliz.
A honestidade é a base da satisfação em fazer religião diariamente.

 Poder olhar nos olhos das pessoas e perceber que elas confiam em você é um prazer que poucos conquistam nesse mundo de desonestidades e conflitos por falta de caráter.

Um Bàbáláwo ou um Bàbálóòrìşà deve ser honesto e deve parecer honesto.

A aparência e o comportamento de um ministro religioso pode prejudicar o trabalho de seus antepassados.

Eu vejo na internet algumas pessoas que se dizem sacerdotes e que se vestem como se estivessem na praia.

No odu Irẹtẹ Obàrà fala sobre a elegância de uma pessoa séria. Fala importância de um sacerdote se   vestir de acordo com a ocasião.

Não basta ser honesto tem que parecer honesto.

Texto: Oluwo Ifágbaiyin Agboola

sábado, 11 de maio de 2019

Òrìsà Kóri


Òrìsà Kóri




Na mudança para o novo mundo a Religião tradicional Yorùbá (candomblé) perdeu muito da sua essência por vários motivos que não vamos mencionar nesse texto.

Nesse processo foi perdido o conhecimento sobre vários òrìsàs:

Òrúnmìlá, Ina, Ònà, Bayani, Olósà, Òkè, Ợkợ.
Ègbé Òrun, Òpá Osun, Edan, Àjé Saluga, Ìyá mi, Ìyá Mapo, Olugama, Ada, Obàlúfón, Olúfón, Obokún, Ajaká, Òrànmíyàn, Odùdúwà, Yèmowó, etc.
Mas um deles no novo mundo com uma quase total falta de sentimentos fraternos está fazendo muita falta, ela se chama Kóri.

Esse Orisa está ligado ao amor ao próximo e a preocupação com o nosso semelhante.
Kóri é a expressão do amor por aquele com quem não temos parentesco.
Conta a história que Kóri encontrou uma criança abandonada na floresta e criou como se fosse seu filho.
Ela amou, educou e alimento um ser que foi abandonado.
Kóri é feminino e aceita em seu Oṣé o mel, dendê, ekó, akara, alele, galinhas e cabras.
Esse Òrìsà representa o amor materno e deixa claro que a mãe é a pessoa que cria com carinho o seu filho.
Mãe é aquela que educa e participa da criação do jovem deixando em sua criação marcas de um amor incondicional.
Esse texto é uma homenagem a todas as mães.
É uma homenagem a todos os òrìsàs femininos, as nossas mães.
É uma homenagem a mãe de todos aqueles que não tiveram o prazer de ter a mãe carnal ao seu lado, mas que foram abençoados pelos òrìsàs.
Esse texto é uma homenagem a minha mãe que está sempre ao meu lado.
Esse texto é uma homenagem a minha Ìyá Apetebi Ìyánífá Ifakemi, feliz dia das mães.








Oríkì Òrìsà Kóri

1-Kóri nrodo,
2-Òòsà ewe nrodo
3-Kóri o má je k’omo wá ò kú o!
4-Òrìsà èwe, má je kí
5-Orí wá, ò kú o!
6-Olú-òrún o, má pá wa lekun o
7-Òrìsà èwe, má pá wa lekun o

Tradução:

1-Kori a protetora!
2-Orixá que protege os jovens!
3-Kori que as crianças venham e não morram!
4-Orixá dos jovens, não há outro!
5-Cabeça venha, e não morra!
6-Senhora do céu, não mate nosso leopardo
7-Orixá dos jovens, não mate nosso leopa

Texto: Oluwo Ifagbaiyin


Orgasmos incontroláveis e convulsivos

Ontem se vivo estivesse meu Bàbálòrìsà estaria completando cento e doze anos.   Sendo assim vocês já podem imaginar que eu não sou ...