quinta-feira, 28 de março de 2019

Conselho Brasileiro de Ifá


Conselho Brasileiro de Ifá


Que os netos dos nossos netos jamais esqueçam os pareceres dos juízes do Supremo tribunal no dia de hoje, que se eternize a voz do direito e que a luz da verdade ilumine o sonho de liberdade de nossos antepassados.

Que o manto da impunidade seja varrido de forma UNIVERSAL, que a covardia seja punida com a certeza do abrigo dos excluídos.

Que o ÒRÌSÀ seja louvado de norte a sul com a voz forte da justiça, que os injustos jamais sobreponham aqueles que louvam seus antepassados.

Que o som dos atabaques cale a expressão da violência com a melodia trazida pelos negros africanos para o nosso país.

E que DEUS se encarregue dos bispos da mentira e da injúria com a severidade que a eles deva ser imposta.

Olúwo Ifagbaiyin Agboola
(Presidente)

quarta-feira, 20 de março de 2019

O tiro saiu pela culatra.


O tiro saiu pela culatra



Vivemos uma época que a desesperança invadiu o coração dos homens.
Só a fé nos òrìsàs pode alimentar os desvalidos.

O òrìsà é a certeza de um apoio na construção de um futuro melhor.

Sem o òrìsà o nosso povo já teria desaparecido vitimado pelo descaso e o preconceito.

As teles igrejas que lavam o dinheiro dos corruptos e os comandantes do crime disfarçado de fé já teriam nos destruído.

Homens como esses vermes das tornozeleiras eletrônicas poderiam desfazer da nossa fé com impunidade.

Os tempos difíceis estão se tornando complexos para lobos e cordeiros.

A mesma mão que abençoa é a que indiretamente puxa o gatilho.

No entanto as vezes o tiro pode sair pela culatra, demitir meia dúzia não vai fazer de vocês heróis.
Será que ainda tem gente que acredita nessa classe política boçal de quinta categoria do Rio de Janeiro, esses que com o traseiro exposto postulam ser defensores dos afro- descendentes.
Me poupe e volte para a pornografia que está impregnada no seu interior.

Não subestime o povo de Òrìsà, podemos fazer parte nas minorias mas não somos inferiores.
O fisiologismo de terceira que vocês usam não enganam mais ninguém.

Dentro do livro sagrado que vocês usam está escondido o número da conta do banco no exterior.  

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

domingo, 17 de março de 2019

Senhores nigerianos




Para os nigerianos, yorubanos ou não, temos um pedido, se vocês vierem para o Brasil nos respeitem, respeitem o nosso povo.

Não imaginem que vocês são mais inteligentes que nós, não imaginem que o fato dos senhores terem nascido na terra dos orisás, permite que vocês possam mentir e enganar os brasileiros que não conhecem Ifá.

A maioria dos Nigerianos que vem para o Brasil não conhece a palavra ética e palavra respeito.

 Muitos de vocês embarcam em um avião na Nigéria como simples comerciantes, vendedores de Obi, mas quando desembarcam no Brasil se dizem Bàbáláwos para enganar as pessoas.

Senhores aqui temos respeito pelos òrìsà e por às pessoas. Uma pessoa que se diz sacerdote tem que ter palavra e tem que consideração pelo povo que está lhe recebendo de braços abertos.

Não se enganem não somos só de fazer carnaval, não nos respeitem, e não respeitem as nossas leis e os orisás que vocês vão conhecer a justiça de nosso país.

Os presídios no Brasil estão cheios de nigerianos traficantes que vem de seu país acreditando que são mais esperto que os brasileiros.

 Aqui já temos bandidos bastante para aceitar bandidos da Nigéria, estrangeiros muitas vezes muçulmanos travestido de Bàbáláwos.

Nós sabemos que existem pessoas sérias e competentes na Religião tradicional Yorùbá, mas a grande maioria que vem para o Brasil vem vender títulos que não servem para nada se quem vende ou quem compra não tem caráter e postura de religiosa.

Me mantenho fiel a minha fé e a meu Olúwo mas não me calarei diante dos absurdos que os Nigerianos estão fazendo em nome dos orisás no Brasil.

Não venham para o Brasil desesperados por dinheiro, respeitem a religião de nosso povo, vocês podem cobrar preços justos por seus trabalho, mas cumpram aquilo que vocês prometerem.

 Nosso povo já foi enganado por políticos, sacerdotes católicos e pastores evangélicos e nós não vamos ser enganados por supostos Bàbáláwos e Bábálòrìşàs da religião tradicional Yorùbá que só pensam em dinheiro.

Não usem o nome dos orisás para encherem seus bolsos de dinheiro mentindo e enganando, divulgando filosofias que vocês não empregam em suas vidas.

Aqui já temos muitos comerciante da fé, não precisamos de vendedores de òrìsà, necessitamos de sacerdotes sérios, sacerdotes preocupados em esclarecer sobre a nossa religião.

Todo dia na internet assistimos centenas de nigerianos oferecendo orisás pelo correio, por favor não nos subestimem, até mesmo o Aláàfin de Òyó não suporta mais os vendedores de títulos e está combatendo esse comércio.

Senhores nigerianos, nos respeitem!

www.babalawoifagbaiyin.com

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

Ifá e a parada necessária




Algumas pessoas me perguntam porque eu parei de escrever e de aparecer na rede social.

Existem muitas especulações sobre as causas da minha ausência:

Há quem diga que eu estou velho e outros dizem que eu desapareci porque estou doente.

Também há quem diga que eu estou milionário, então decidi me aposentar.

Mas na verdade com o falecimento da minha mãe em fevereiro do ano passado a parada foi necessária.

Existem algumas situações que não adianta explicar, algumas pessoas não conseguem entender alguns fatos porque nunca passaram por uma situação assim. Eu mesmo não tinha essa experiência tão amarga e não imaginava como uma perda assim nos afeta.

Passado um ano eu volto as atividades normais com muita vontade de escrever preocupado com o cenário religioso que a tradição Yorùbá.
Os eventos envolvendo a cidade de Òṣogbo e o conflito com o suposto monarca nos mostram uma verdade triste que teimamos em não ver.

A carência de caráter é um problema que existe tanto de um lado como do outro do atlântico.
Por esse motivo convido a todos para que leiam o texto intitulado senhores Nigerianos em nosso blog.

www.babalawoifagbaiyin.com

Olúwo Ifagbaiyin Agboola 


Òrìsà Kóri

Òrìsà Kóri Na mudança para o novo mundo a Religião tradicional Yorùbá (candomblé) perdeu muito da sua essência por vários motiv...