quinta-feira, 6 de maio de 2021

 

Menos ouro e mais bronze




O ideal seria menos Richelieu e mais atitudes.

Menos brilho e mais verdade.

Como seria positivo mais caráter e nenhuma coreografia ensaiada.

Se houvesse mais conexão com o passado não seria necessário tanta tecnologia na religiosidade do presente.

Menos ouro e mais bronze.

Menos plástico e mais folhas.

Mais cabaça e menos louça.

A visão da alma ao contrário da miopia da aparência.

Está na hora dos Orisas abrirem os olhos e deixarem de ser conduzidos.

O Orisa que deve apontar a direção.

As filmadora devem ser desligadas e as pessoas devem se ligar a espiritualidade, se ligar a pessoas honestas e dignas de falar em nome do Orisa.

A imoralidade deve ser retirada das entre linhas e posta com um olhar afiado que corta a própria carne apodrecida.

Chegou a hora da transformação que nos leva ao ponto de partida.

Temos a necessidade de olhar e ver a verdade e não aquilo que está sendo programado para ser mostrado.

O Richelieu por ser vazado permite que os detalhes sejam vistos.

Muito está sendo mostrado.


Texto: Oluwo Ifagbaiyin

  Menos ouro e mais bronze O ideal seria menos Richelieu e mais atitudes. Menos brilho e mais verdade. Como seria positivo mais caráter e ne...