quarta-feira, 10 de abril de 2019

Intolerância Religiosa.


Intolerância Religiosa.


Na década de oitenta eu fui entrevistado por uma emissora de TV na cidade de Buenos Aires, Argentina por uma apresentadora muito conhecida.

Depois disso eu dei entrevistas em um jornal no Chile, na cidade de Santiago.
No ano de 2011 um canal de TV da cidade de Lagos, Nigéria fez uma entrevista comigo.

Algum tempo depois, eu dei uma entrevista para um jornal daquele país em Òyó.
O nosso trabalho através do blog tem seguidores em muitos países, o nosso trabalho é muito bem aceito nos Estados Unidos, em Israel, na Rússia, na Ucrânia, na China e até nos Emirados Árabes.

A nossa Escola tem alunos até na China.

É muito difícil entender a questão que envolve a baixo estima dos brasileiros que valorizam tudo que vem do estrangeiro.

Outro dia conversando com o tetracampeão mundial de boxe Acelino Freitas (Popó) em sua residência no condomínio Encontro das aguas na cidade de Lauro de Freitas ele me disse “os Estados Unidos me deu tudo, lá eu tenho reconhecimento”.

Constantemente eu assisto na rede social algumas situações que em outros países implicariam diretamente em uma ação na justiça pleiteando indenizações financeiras por prejuízo a imagem.

No Brasil uma pessoa estuda por décadas um tema e o tal sistema “democrático” permite que através das redes sociais qualquer ignorante ou questione e faça críticas injustificadas muitas vezes confundindo a opinião pública.

Em trinta minutos uma pessoa cria um perfil com um nome falso e questiona publicamente um trabalho de cinquenta anos.

Será que isso é intolerância religiosa?

Ou será que isso é um caso de polícia?

De qualquer forma é nítida a baixo estima e a falta de cultura da grande maioria do nosso povo.

O estudo pode não ensinar tudo, mas permite que a pessoa enxergue o todo.
Será que o nosso problema é só a intolerância religiosa?

Pensando nisso, há alguns anos atrás escrevi o texto Bàbáláwo brasileiro.

https://www.babalawoifagbaiyin.com/search?q=O+BABALAWO+BRASILEIRO

Texto: Olúwo Ifagbaiyin Agboola.





segunda-feira, 8 de abril de 2019

Orixá e a crise financeira

Orixá e a crise financeira



Òrìsà não quer que você passe necessidade, isso é certo!
Eu sempre digo:

-Se o seu òrìsà ajuda todas as pessoas e não ajuda você, jogue ele fora.
Ele é seu inimigo, e não merece culto.

A verdadeira religião de òrìsà é baseada na ancestralidade.

Se o seu ancestral quer que você passe dificuldades ele não é inteligente e não merece o seu respeito.
Para um ancestral sobreviver o descendente tem que estar feliz com ele.

Se você reza e não é atendido, ou você não presta, ou não existe nenhum òrìsà onde você está rezando, ou na pior das hipóteses, você está pedindo o impossível.

A crise financeira mundial é bastante conhecida.

Mas, é obrigação do òrìsà orientar os seus devotos!

Pense nisso!

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

Orixá e a crise financeira


Orixá e a crise financeira


 Òrìsà não quer que você passe necessidade, isso é certo!
Eu sempre digo:

-Se o seu òrìsà ajuda todas as pessoas e não ajuda você, jogue ele fora.
Ele é seu inimigo, e não merece culto.

A verdadeira religião de òrìsà é baseada na ancestralidade.

Se o seu ancestral quer que você passe dificuldades ele não é inteligente e não merece o seu respeito.
Para um ancestral sobreviver o descendente tem que estar feliz com ele.

Se você reza e não é atendido, ou você não presta, ou não existe nenhum òrìsà onde você está rezando, ou na pior das hipóteses, você está pedindo o impossível.

 A crise financeira mundial é bastante conhecida.

 Mas, é obrigação do òrìsà orientar os seus devotos!

 Pense nisso!

 Olúwo Ifagbaiyin Agboola


quinta-feira, 4 de abril de 2019

Ifá,98%

Ifá,98%

Na atualidade 98% da população se preocupa com três aspectos:
-DINHEIRO
-SEXO
-PODER
Sobre o dinheiro não necessita explicar muito, com o forte apelo comercial em nosso país tudo tem um preço.
E infelizmente parece que pode mais, quem tem mais.
Sexo, é um prazer que pode facilmente virar doença.
Essa afirmativa pode ser confirmada com o monstruoso número de agressões as mulheres brasileiras.
O poder esse sim não podemos esquecer.
Quem pode manda, quem precisa deve obedecer.
Mas tem o poder doentio que também pode ser demonstrado com a aparência do parceiro sexual, com o modelo do automóvel e com a etiqueta da roupa.
A ostentação do parceiro como se fosse troféu é uma pratica que muitos idiotas sustentam sem perceber.
E o desfile com o carro importado com busca e apreensão é bem comum.
Esses aspectos que salientamos são muito procurados por pessoas que buscam as magias de Ifá.
O que elas não imaginam é que a nossa religião não é para Isso.
As pessoas se interessam em ter acesso somente a essa parte da nossa religião porque são ignorantes.
Essa é a minha opinião sobre 98% das pessoas que eu vejo correndo desesperadas para o Ifá.
As pessoas buscam poder, elas não estão procurando uma religião.
Mas, nessa procura desesperada elas terminam sendo vítimas de outras pessoas que assim como elas estão no Ifá por interesse.
Hoje qualquer pessoa pode ter acesso a determinadas informações que estão sendo comercializadas por 98% daqueles que deveriam preservar a nossa religião.
Se não tem todo o dinheiro, sempre tem um desconto,98 % é tudo que é necessário nas vielas escuras da rede social, habitadas por pessoas que falta 98% do caráter necessário.
E tudo se resolve com 98% de falta de neurônios.

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

terça-feira, 2 de abril de 2019

O que é Ifá?


O que é Ifá?




Todos os dias eu recebo inúmeras mensagens de pessoas interessadas em ter mais informações sobre a religião tradicional Yorùbá e em especial sobre Ifá.

De a acordo com a Wikipédia:

Ifá é um oráculo africano.

 É um sistema divinatório que se originou na África Ocidental entre os yorùbás, na Nigéria.
 É também designado por Fa entre os Fons e Afa entre os Ewés.

 Não é propriamente uma divindade (orixá), é o porta-voz de Òrúnmìlá e dos outros orixás.
Òrúnmìlá, muitas vezes é designado como Orixá do destino na cultura africana Yorùbá.

O sistema pertence às religiões tradicionais africanas mas também é praticado entre os adeptos do Lukumí de Cuba através da Regla de Ocha; do candomblé no Brasil através do Culto de Ifá, e de similares transplantados para o Novo Mundo.

Em verdade as informações disponíveis na Wikipédia necessitam de mais detalhes para que o público leigo entenda de fato o que é Ifá.

Sendo assim na tentativa de levar um pouco mais de esclarecimento escrevo esse texto sobre Ifá com uma abordagem para as pessoas que não são iniciadas em nossa religião:


Escrever sobre Ifá é tentar descrever uma religião e uma filosofia de vida com um olhar muito mais amplo que a descrição de um conjunto de versos usados em um oráculo.

Ifá descreve hábitos para uma qualidade de vida melhor, Ifá se preocupa com a ética, com os bons costumes e com as regras de uma vida digna.

Ifá é o caminho para a evolução, ifá é a luz de Deus nas palavras de seu principal discípulo, Òrúnmìlá.

Observação:

- IFÁ

 O Oráculo de Òrúnmìlá através dos odus e dos versos sagrados é conhecido como Ifá.

- ODU

O funcionamento do oráculo é baseado em elementos conhecidos como odus, que constituíram a criação do universo sobre as orientações de Deus (Olódùmarè). Todos Òrìsàs, assim como todos os seres humanos e todos os elementos da natureza nascem dos odus.

- VERSOS DE IFÁ

Todo odu é composto de inúmeros versos que contam histórias dos òrìsàs e de vários personagens que retratam a palavra de Òrúnmìlá.

- ÒRÚNMÌLÀ

Òrúnmìlá tem muitos nomes, o nome mais conhecido de Òrúnmìlá é Ifá, essa denominação acontece quando Òrúnmìlá é invocado em forma de Oráculo.
De acordo com a religião tradicional Yorùbá, Òrúnmìlá é o único òrìsà que estava presente quando escolhemos o nosso destino, Òrúnmìlá é aquele que tudo sabe.

- ELA

Na religião tradicional Yorùbá, um mesmo Òrìsà tem vários nomes, Òrúnmìlá é um Òrìsà que quando atua na intuição do sacerdote recebe o nome de Ela.

- O MAIS IMPORTANTE SACERDOTE DE IFÁ

Conta a história que entre todos os discípulos de Òrúnmìlá o que mais se destacou chamava se Agbonniregun, esse sacerdote é conhecido como a reencarnação de Òrúnmìlá.

- BÀBÀLÁWO

O Bàbáláwo é o sacerdote que consulta Òrúnmìlá através do oráculo conhecido pelo nome de Ifá com um instrumento conhecido pelo nome de Òpèlè.

- ÌYÁNIFÁ

As Ìyánífás são sacerdotisas de Òrúnmìlá que também consultam a Òrúnmìlá com o Oráculo de Ifá, Òpèlè e Ikín.

- ÒPÈLÈ
Instrumento usado nas consultas a Ifá que consiste em uma espécie de corrente com quatro sementes cortadas a o meio.


- IKÍN
Os Ikíns são uma espécie de semente de palmeira que também é usado por Bàbáláwos e Ìyánífás como Oráculo de Ifá.

                                                                                               
Texto:  Olúwo Ifagbaiyin Agboola




quinta-feira, 28 de março de 2019

Conselho Brasileiro de Ifá


Conselho Brasileiro de Ifá


Que os netos dos nossos netos jamais esqueçam os pareceres dos juízes do Supremo tribunal no dia de hoje, que se eternize a voz do direito e que a luz da verdade ilumine o sonho de liberdade de nossos antepassados.

Que o manto da impunidade seja varrido de forma UNIVERSAL, que a covardia seja punida com a certeza do abrigo dos excluídos.

Que o ÒRÌSÀ seja louvado de norte a sul com a voz forte da justiça, que os injustos jamais sobreponham aqueles que louvam seus antepassados.

Que o som dos atabaques cale a expressão da violência com a melodia trazida pelos negros africanos para o nosso país.

E que DEUS se encarregue dos bispos da mentira e da injúria com a severidade que a eles deva ser imposta.

Olúwo Ifagbaiyin Agboola
(Presidente)

quarta-feira, 20 de março de 2019

O tiro saiu pela culatra.


O tiro saiu pela culatra



Vivemos uma época que a desesperança invadiu o coração dos homens.
Só a fé nos òrìsàs pode alimentar os desvalidos.

O òrìsà é a certeza de um apoio na construção de um futuro melhor.

Sem o òrìsà o nosso povo já teria desaparecido vitimado pelo descaso e o preconceito.

As teles igrejas que lavam o dinheiro dos corruptos e os comandantes do crime disfarçado de fé já teriam nos destruído.

Homens como esses vermes das tornozeleiras eletrônicas poderiam desfazer da nossa fé com impunidade.

Os tempos difíceis estão se tornando complexos para lobos e cordeiros.

A mesma mão que abençoa é a que indiretamente puxa o gatilho.

No entanto as vezes o tiro pode sair pela culatra, demitir meia dúzia não vai fazer de vocês heróis.
Será que ainda tem gente que acredita nessa classe política boçal de quinta categoria do Rio de Janeiro, esses que com o traseiro exposto postulam ser defensores dos afro- descendentes.
Me poupe e volte para a pornografia que está impregnada no seu interior.

Não subestime o povo de Òrìsà, podemos fazer parte nas minorias mas não somos inferiores.
O fisiologismo de terceira que vocês usam não enganam mais ninguém.

Dentro do livro sagrado que vocês usam está escondido o número da conta do banco no exterior.  

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

domingo, 17 de março de 2019

Senhores nigerianos




Para os nigerianos, yorubanos ou não, temos um pedido, se vocês vierem para o Brasil nos respeitem, respeitem o nosso povo.

Não imaginem que vocês são mais inteligentes que nós, não imaginem que o fato dos senhores terem nascido na terra dos orisás, permite que vocês possam mentir e enganar os brasileiros que não conhecem Ifá.

A maioria dos Nigerianos que vem para o Brasil não conhece a palavra ética e palavra respeito.

 Muitos de vocês embarcam em um avião na Nigéria como simples comerciantes, vendedores de Obi, mas quando desembarcam no Brasil se dizem Bàbáláwos para enganar as pessoas.

Senhores aqui temos respeito pelos òrìsà e por às pessoas. Uma pessoa que se diz sacerdote tem que ter palavra e tem que consideração pelo povo que está lhe recebendo de braços abertos.

Não se enganem não somos só de fazer carnaval, não nos respeitem, e não respeitem as nossas leis e os orisás que vocês vão conhecer a justiça de nosso país.

Os presídios no Brasil estão cheios de nigerianos traficantes que vem de seu país acreditando que são mais esperto que os brasileiros.

 Aqui já temos bandidos bastante para aceitar bandidos da Nigéria, estrangeiros muitas vezes muçulmanos travestido de Bàbáláwos.

Nós sabemos que existem pessoas sérias e competentes na Religião tradicional Yorùbá, mas a grande maioria que vem para o Brasil vem vender títulos que não servem para nada se quem vende ou quem compra não tem caráter e postura de religiosa.

Me mantenho fiel a minha fé e a meu Olúwo mas não me calarei diante dos absurdos que os Nigerianos estão fazendo em nome dos orisás no Brasil.

Não venham para o Brasil desesperados por dinheiro, respeitem a religião de nosso povo, vocês podem cobrar preços justos por seus trabalho, mas cumpram aquilo que vocês prometerem.

 Nosso povo já foi enganado por políticos, sacerdotes católicos e pastores evangélicos e nós não vamos ser enganados por supostos Bàbáláwos e Bábálòrìşàs da religião tradicional Yorùbá que só pensam em dinheiro.

Não usem o nome dos orisás para encherem seus bolsos de dinheiro mentindo e enganando, divulgando filosofias que vocês não empregam em suas vidas.

Aqui já temos muitos comerciante da fé, não precisamos de vendedores de òrìsà, necessitamos de sacerdotes sérios, sacerdotes preocupados em esclarecer sobre a nossa religião.

Todo dia na internet assistimos centenas de nigerianos oferecendo orisás pelo correio, por favor não nos subestimem, até mesmo o Aláàfin de Òyó não suporta mais os vendedores de títulos e está combatendo esse comércio.

Senhores nigerianos, nos respeitem!

www.babalawoifagbaiyin.com

Olúwo Ifagbaiyin Agboola

Ifá e a parada necessária




Algumas pessoas me perguntam porque eu parei de escrever e de aparecer na rede social.

Existem muitas especulações sobre as causas da minha ausência:

Há quem diga que eu estou velho e outros dizem que eu desapareci porque estou doente.

Também há quem diga que eu estou milionário, então decidi me aposentar.

Mas na verdade com o falecimento da minha mãe em fevereiro do ano passado a parada foi necessária.

Existem algumas situações que não adianta explicar, algumas pessoas não conseguem entender alguns fatos porque nunca passaram por uma situação assim. Eu mesmo não tinha essa experiência tão amarga e não imaginava como uma perda assim nos afeta.

Passado um ano eu volto as atividades normais com muita vontade de escrever preocupado com o cenário religioso que a tradição Yorùbá.
Os eventos envolvendo a cidade de Òṣogbo e o conflito com o suposto monarca nos mostram uma verdade triste que teimamos em não ver.

A carência de caráter é um problema que existe tanto de um lado como do outro do atlântico.
Por esse motivo convido a todos para que leiam o texto intitulado senhores Nigerianos em nosso blog.

www.babalawoifagbaiyin.com

Olúwo Ifagbaiyin Agboola 


Intolerância Religiosa.

Intolerância Religiosa. Na década de oitenta eu fui entrevistado por uma emissora de TV na cidade de Buenos Aires, Argentina por ...