domingo, 17 de outubro de 2010

Esu o mais importante dos orisas

Esu  o mais importante dos orisas





Autor:Babalawo Ifagbayin Agboola


No território Yoruba o culto a Esu esta ligado a todos aos outros  orisas ,egungun e  Iya mi,e  o assentamento de Esu está sempre presente nos locais de culto.

Diferentemente do que acontece no Brasil, esse assentamento é feito em uma pedra conhecida como  Yangui , existe várias formas de assentamento, mas o mais comum, Yangui, uma pedra ferruginosa ( laterita )que é  acompanhada de uma estatueta em madeira , embora infelizmente no Brasil, ainda existem pessoas que assentam Esu com pedra de rio, contrariando a essência que deveria ser mantida conforme os versos de Ifa,(textos sagrados de nossa religião).

É bem verdade, que considerando tudo que nossos antepassados tiveram que enfrentar, diante das dificuldades da escravidão, muito foi conservado e pouco seriam os ajustes a ser feito,agora é responsabilidade nossa corrigir o curso da historia indo de encontro as nossas raízes e melhorando nossa relação com os nossa origem.

O grande problema com o culto a Esu, é a desinformação das  pessoas, que seguem confundindo Esu, com os chamados  Exus de Quimbanda ou da Umbanda,isso deixa uma confusão muito grande na cabeça das pessoas que desconhecem os orisas,é muito comum ver assentamentos com tridentes  e bonecos com chifre, ainda sendo cultuados e pessoas que continuam dizendo que tem um Esu chamado tranca rua e que ele seria o emissário de Osun,tal afirmação deixa qualquer pessoa informada de cabelo em pé .

Em grande parte as pessoas não sabem as verdadeiras atribuições de Esu ,ele é o orisa da articulação entre o aiye (terra) e o orun (ceu), o intermediário entre os homens e os orisas, o verdadeiro porta voz do ser humano junto as divindades.

Nunca devemos confundir  Esu, com o diabo como fizeram os colonizadores em terras yorubas,sobre tudo, hoje com tantas informações, a internet é o grande pesadelo dos desinformados donos do saber, que outrora se arvoravam como conhecedores, hoje basta acessar  todo tipo de informação, e as distâncias entre a África e o Brasil estão reduzidas a um simples  toque no teclado,o problema é como identifica, qual informação pode ser aproveitado.