domingo, 5 de abril de 2015

Opele Pankara aprendendo Ifá.


Autor: Babalawo Ifagbaiyin Agboola

Quando vejo pessoas que não tem nenhum conhecimento mostrarem na rede social um Opele ou um opón ifá fico pensando se o desejo de aparecer de alguns pode justificar o prejuízo causados por essas pessoas a nossa religião.

Quando em um isefa aparece a indicação no odu que o omo ifá deve se tornar uma Babalawo o mesmo deve ser submetido a uma segunda cerimonia para que seja extraído um novo odu que vai indicar as orientações para o seu período de estudos.

Só assim após a segunda cerimonia o omo ifá será chamado de awo kekere, durante esse processo ele será instruído ao consultar um opele que normalmente é confeccionado com pedaços de cabaças, chamado pankara.

O awo kekere não recebe iroke e muito menos opón ifá é comum ver pessoas ignorantes consultar o merindilogun sobre um opón, para quem conhece a nossa religião isso é uma grande ofensa a Orunmila pois esse instrumento pertence exclusivamente a Babalawos e Iyanifas.

Um awo kekere não permissão para atender com opele somente após o itefa e o itelodu ele agora considerado um Babalawo poderá manusear um opele em público.

O opele que o Babalawo recebe no itelodu que é alimentado junto com seu ifá é totalmente diferente do opele usado em consultas no dia a dia, esse opele é alimentado em cerimônia restrita e os rituais que envolve a sua preparação são consideradas segredos.

Uma pessoa por não ter condições financeiras ou por não ter a indicação de ifá sinalizando a indicação do itelodu pode permanecer por anos como estudante (awo kekere).

O odu ogbe bara fala sobre a preparação do apele e sobre o ewo (proibição), do atendimento gratuito, fato esse que para alguns Babalawos pode gerar inúmeros problemas, para evitar que o Babalawo entre em ewo um pagamento mínimo simbólico deve ser efetuado na consulta.

Em um isefa o pré-iniciado não recebe iroke, opón, opele e também não tem sua cabeça raspada, infelizmente a falta de conhecimento de alguns jovens Babalawos em nosso país geraram alguns conflitos que hoje começam a ser esclarecidos através do contato com bons Babalawos da Nigéria.

A falta de conhecimento de alguns os leva a um improviso motivado por lembranças de suas iniciações, despreparados inventam rituais baseados em suas iniciações implicando em rituais descabidos e fora de hora.

Alguns desses senhores chegam ao ponto de enterrar ikins em rituais de isefa, demonstrando assim a sua total falta de conhecimento. Entendo esses gestos absurdos como além de total ignorância e despreparo uma forma de valorizar os ritos com a intenção de elevar os preços.

OFUN/OSE
Eni to ba puro
Iro a pa
Eni ti o ba seke
Eke a ke won lowo
A ke wån lese
A ti won si gburugburu ona oun
Awon lo se ifa fun ajangurumale
Ti nse oluwo lode orun
Gbogbo eni ti o ba
Nfi suru pe suru
Ajangurumale ifa
Ni yoo ja won sorun
Gbogbo eni ti o ba
Nfi suru pe suru
Ajangurumale, ifa ni yoo ja won sorun
E ma fi oku pe aye
E ma fi aye pe oku
Eni ti o ba fi oku pe aye
Eni ti o ba fi aye pe oku
Ajangurumale ifa ni yoo ja won sorun
Ajangurumale
E ma fi abiyamo pe agan
E ma fi agan pe oyibi
Eni ti o ba fi abiyamo pe agan
Ti o fi agan pe oyibi
Ajangurumale, ifa ni yoo ja won sorun.

Este itan do Odu Ofun-Ose, narrado ao Babá King pelo venerável Babalawo Fabunmi Sowunmi

Aquele que mente será destruído pela mentira.

Aquele que provoca discórdia será destruído pela discórdia.
A falsidade despojará o falso da força vital de que dispõe.
 A falsidade destruirá os falsos.
Foram eles que adivinharam para Ajagunmale (Ifá), sábio supremo no orun.
Todos aqueles que trocam a verdade pela mentira serão levados para o orun por Ajagunmale (Ifá)
Não chamem o morto de vivo, nem chamem o vivo de morto.
Quem chama o morto de vivo ou chama o vivo de morto será levado para o orun por Ajagunmale (Ifá)
Não chamem uma mulher fértil de estéril, nem chamem uma mulher estéril de fértil.
Quem chama uma mulher fértil de estéril ou chama uma mulher estéril de fértil será levado para o orun por Ajagunmale (Ifá)
Não chamem o preto de branco, nem chamem o branco de preto.
Quem chama o preto de branco ou chama o branco de preto, será levado para o orun por Ajagunmale (Ifá)
Orunmilá diz que prefere matar o babalawo que mente para quem o procura em busca da verdade e colocar em seu lugar um homem ignorante a respeito da complexa sabedoria de Ifá.

Orunmilá prefere um homem que não conhece a sabedoria de Ifá do que um grande conhecedor dessa sabedoria que seja falso e mentiroso.





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial